SOURCE: Lance Armstrong Foundation

August 17, 2010 12:35 ET

A American Cancer Society e LIVESTRONG® publicam o primeiro relatório econômico global do custo do câncer

Dados pioneiros mostram que o câncer tem o maior impacto na morte prematura e na incapacidade do que todas as mortes em todo o mundo

ATLANTA, GA--(Marketwire - August 17, 2010) - Pela primeira vez, uma pesquisa científica mostra que o câncer tem o impacto mais devastador do que qualquer causa de morte no mundo, custando quase três milhões de dólares ao ano para a economia global. A American Cancer Society e LIVESTRONG(R) se uniram para publicar o primeiro estudo sobre o custo econômico de todas as causas da morte no mundo, incluindo o câncer e outras doenças comunicáveis e não comunicáveis. De acordo com as previsões da Organização Mundial de Saúde (OMS), este ano, o câncer será a principal causa de morte no mundo, seguido da doença cardíaca e derrame. Esta análise essencial e oportuna, de autoria dos pesquisadores da American Cancer Society, Rijo M. John, Ph.D., diretor da pesquisa de controle internacional do tabaco, e Hana Ross, Ph.D., diretor estratégico da pesquisa de controle internacional do tabaco, mostra que o câncer tem o maior impacto econômico da morte prematura e incapacidade do que todas as causas de morte em todo o mundo.

Os dados deste estudo oferecem uma nova evidência científica convincente de que a equiparação da agenda de saúde global de abordagem do câncer irá salvar milhões de vidas e milhões de dólares. Em 2008, o câncer foi responsável por um prejuízo econômico de quase três milhões de dólares com a morte prematura e a incapacidade. O peso econômico do câncer é quase 20 porcento maior do que o da doença cardíaca, a segunda causa de perda econômica ($895 bilhões e $753 bilhões respectivamente). Esta análise não inclui os custos médicos diretos que poderiam aumentar ainda mais e possivelmente dobrar o custo econômico total causado pelo câncer. Os anos perdidos de vida e de produtividade causados pelo câncer representam o maior vazamento das economias globais, comparadas com outras causas de morte, incluindo HIV/AIDS e outras doenças infecciosas.

"O custo humano do câncer, em termos de sofrimento e morte, é trágico e em grande parte, evitável. Agora sabemos que, sem uma intervenção imediata, o problema do câncer irá crescer enormemente nos países de baixa e média renda, sobrecarregando os sistemas de saúde e os custos econômicos que são superiores aos da capacidade destas economias em desenvolvimento", disse John R. Seffrin, PhD, CEO da American Cancer Society.

"O câncer vem roubando os nossos entes queridos há muitas gerações", disse o presidente e o CEO da LIVESTRONG, Doug Ulman. "Agora, com este estudo, aprendemos que este monstro está roubando os bolsos de todas as nações da Terra com um índice assustador. Mas nós queremos que as pessoas saibam que até mesmo em uma economia desafiadora, poderíamos reverter esta tendência se os governos proporcionassem os recursos necessários e trabalhassem juntos para enfrentar de frente esta epidemia".

Para este estudo, os pesquisadores usaram computações obtidas da Organização Mundial de Saúde que combinam as dimensões da morte e da incapacidade da doença em um único resumo chamado DALY (ano-vida ajustado pela incapacidade), para 17 tipos de câncer, bem como das 15 principais causas de morte. Baseado na recomendação da OMS, gastando menos do que três vezes o Produto Doméstico Bruto per capita para ganhar um DALY (ano-vida ajustado pela incapacidade) tem o custo eficaz. Usando um fórmula aceita pelos pesquisadores de saúde pública e economistas para medir o peso global da doença, 83 milhões de anos de "vida saudável" foram perdidas para a morte e incapacidade causada pelo câncer.(1)

A morte e a incapacidade pelo câncer de pulmão, câncer de cólon/retal, e câncer de mama são responsáveis pelo maior custo econômico global e a maior carga nos países de alta renda. Nos países de renda mais baixa, o câncer da boca e da orofaringe, colo do útero e de mama têm o maior impacto. As intervenções disponíveis para prevenir, detectar e/ou tratar estes cânceres comuns devem salvar vidas e também melhorar as perspectivas de desenvolvimento econômico em muitas nações.

O câncer de pulmão, brônquios e traquéia, são responsáveis pelo maior dispêndio de recursos -- cerca de $180 bilhões anuais -- da economia anual. Se esta tendência atual continuar, o tabaco irá matar sete milhões de pessoas anualmente em 2020 e oito milhões de pessoas por ano em 2030, com mais de 80 porcento das mortes ocorrendo nos países de baixa e média renda.(2) Cerca de um terço dessas mortes serão causadas pelo câncer. Infelizmente, o tabaco mata milhares de não-fumantes todos os anos também -- entre eles estima-se que 200 mil estejam expostos ao fumo passivo no local de trabalho.

Este estudo econômico histórico acontece na ocasião em que o câncer e outras doenças não comunicáveis estão atraindo mais atenção da comunidade de saúde global com a chamada da Assembléia Geral da ONU para uma Reunião de Alto Nível sobre o assunto em setembro de 2011. As doenças não comunicáveis são responsáveis por 60 porcento das mortes do mundo, no entanto, de acordo com o Center for Global Development elas recebem menos que 1 porcento dos fundos públicos e privados de saúde.

Com o peso da morte e da incapacidade causadas pelo câncer de pulmão em todos os níveis de renda em quase todas as nações, os trabalhos como o do Framework Convention on Tobacco Control (FCTC) podem ter um impacto substancial na redução das perdas econômicas. O FCTC, o primeiro tratado de saúde global assinado por 168 países, tem como objetivo reduzir as mortes por uso de tabaco através do regulamento da venda e do marketing dos produtos de tabaco e da proteção das pessoas da fumaça do tabaco.

Este e outros resultados do relatório são mais importantes do que nunca devido ao fato de que, em 2010, está previsto que o câncer será a principal causa de morte em todo o mundo, seguido das doenças cardíacas e derrame. Sessenta porcento dos 7,6 milhões de mortes por câncer em 2008 e mais da metade dos 12,4 milhões de casos estimados de diagnóstico de câncer todos os anos ocorrem nos países em desenvolvimento, no entanto, poucas pesquisas se concentram no impacto econômico da doença nos países onde as formas preveníveis de câncer estão tendo um peso desproporcional.

(1) WHO Commission on Macroeconomics and Health Macroeconomics and Health: Investing in Health for Economic Development. (Organização Mundial de Saúde: Genebra, 2001). http://apps.who.int/bookorders/anglais/detart1.jsp?sesslan=1&codlan=1&codcol=15&codcch=491

(2) Organização Mundial de Saúde. Fresh and alive: Mpower, WHO report on the global tobacco epidemic, 2008. Genebra, Suíça: Organização Mundial da Saúde, 2008.

American Cancer Society
A American Cancer Society combina uma paixão irredutível com quase um século de experiência para salvar vidas e acabar com o sofrimento do câncer para sempre. Como uma força global de base com mais de três milhões de voluntários, lutamos por cada aniversário ameaçado pelo câncer em cada comunidade. Salvamos vidas ajudando as pessoas a se manterem saudáveis através da prevenção ou detecção precoce do câncer, dando apoio às pessoas durante e depois do diagnóstico, buscando curas com descobertas importantes e lutando através das políticas públicas. Como o maior investidor não governamental da nação em pesquisa de câncer, contribuindo com cerca de US3,4 bilhões, tornamos o nosso conhecimento sobre o câncer em ação. Com isso, mais de 11 milhões de pessoas na América que tiveram câncer e inúmeras outras pessoas que conseguiram evitá-lo vão comemorar aniversário este ano. Para mais informações e para obter ajuda, ligue a qualquer hora do dia ou da noite para 1-800-227-2345 ou acesse cancer.org. Para mais informação sobre os nossos programas globais, acesse cancer.org/global.

LIVESTRONG
Fundada em 1997 pelo sobrevivente de câncer e campeão de ciclismo Lance Armstrong e baseada em Austin, Texas, a LIVESTRONG luta pelas 28 milhões de pessoas que vivem com câncer no mundo todo hoje. A LIVESTRONG conecta indivíduos para atender suas necessidades, aproveitar os financiamentos e recursos para impulsionar a inovação e envolver as comunidades e líderes na mudança social. Conhecida por sua pulseira amarela icônica, a LIVESTRONG tem por missão inspirar e capacitar qualquer pessoa afetada pelo câncer. Para mais informações, acesse www.LIVESTRONG.org.

Contact Information