SOURCE: ANNA

ANNA

June 04, 2015 08:00 ET

ANNA: Grandes mudanças no Identificador CFI usado por investidores, empresas de financiamento e reguladores

Classificação de Códigos de Instrumentos Financeiros atualizados para incluir Derivativos OTC e Novas Opções de Atribuições para Contratos OTC

DUBLIN, IRELAND and BRUSSELS, BELGIUM--(Marketwired - Jun 4, 2015) - Na sua assembleia ordinária anual em Dublin, a Association of National Numbering Agencies (Associação de Agências de Numeração Nacional) hoje atualizou formalmente sua associação com relação às mudanças da Classification of Financial Instruments (CFI - Classificação de Instrumentos Financeiros) previstas para o T3. As agências da numeração nacional que fazem parte da associação ANNA são responsáveis por emitir códigos de identificação para todas as novas emissões de papéis negociáveis nas suas jurisdições. Nestes códigos estão incluídos o International Securities Identification Number (ISIN - Número Internacional de Identificação de Papéis Negociáveis) e a CFI que fornecem detalhes mais granulares sobre a estrutura e os termos dos instrumentos.

"A atualização da CFI tem sido muito importante para a indústria porque permiti novos relatórios regulatórios para derivativos na mesma família dos identificadores ISO padrão integrados internacionalmente durante o ciclo de vida operacional de outros tipos de instrumentos de investimento", observa Emma Kalliomaki, Dirigente da SEDOL Master File do LSE Group e membro do Conselho da ANNA. Ela também é organizadora do ISO Working Group que está atualizando a CFI.

A expansão do padrão CFI, também conhecido como ISO 10962, é resultado de um processo de revisão do Working Group organizado sob o ISO TC68/SC4, o Securities and Related Financial Instruments Subcommittee of the International Organization for Standardization (ISO). Um grande número de membros nacionais e de liason de diversas organizações da indústria tiveram uma participação ativa e constante. O padrão CFI revisado foi aprovado por unanimidade pelos países participantes no início do ano.

Algumas das mudanças do padrão foram a extensão da classificação dos derivativos negociados e a introdução de contratos de derivativos no balcão, incluindo swaps, spot, forwards, estratégias e opções complexas. Os contratos OTC, que podem ser transações de muitas pernas, não foram abordados anteriormente na CFI porque normalmente eram contratos privados entre as partes e não negociados abertamente nas bolsas de valores. Novos regulamentos, incluindo a compensação de certos contratos OTC por meio das câmaras de compensação e relatórios regulatórios da formação e da evolução do status com o tempo resultaram em exigências para os códigos padrão de identificação e classificação.

As regras CFI atualizadas também incluirão o afastamento radical do processo histórico de atribuição. Atualmente as CFIs são alocadas somente pelas agências nacionais de numeração simultaneamente com a alocação de ISINs. Embora o link total entre ISIN e CFI continue, a revisão permite que as contrapartes envolvidas nas transações OTC para gerar CFIs automaticamente de acordo com as regra de alocação ISO 10962. Pelo fato destas transações não serem negociadas em bolsas de valores e tenham uma validade limitada, em muitos casos a CFI fornecerá a classificação necessária para fins de compensação e relatórios.

Além disso, as novas regras de classificação de derivativos foram criadas para alinhamento com os esquemas de classificação taxonomia ISDA e FIX Protocol. Mesmo com a expansão significante da CFI, foi tomado bastante cuidado para minimizar o impacto na comunidade de usuários e para manter, na medida do possível, a compatibilidade com versões anteriores das CFIs.

Com as novas cotas de alocação de usuário com instrumentos OTC o papel da Registration Authority (Autoridade de Registro) das CFIs executadas anteriormente pela ANNA, deixará de existir. No entanto, a alocação de ISINs e CFIs para instrumentos financeiros continuará a ser realizada simultaneamente pela associação ANNA em todo o mundo.

ANNA

Estabelecida em 1992 por 22 agências de numerações fundadoras, a ANNA é uma associação de agências de numeração nacional que são operadas por depositórios, bolsas, agências governamentais, fornecedores de dados centrais nacionais e outras organizações de infraestrutura financeira. A ANNA também atua como autoridade de registro do padrão de numeração ISIN, nomeada pela International Organization for Standardization (ISO - Organização Internacional de Padronização). Sob a direção da ANNA, o papel do ISIN em permitir a comunicação financeira mundial está firmemente estabelecida em todo o mundo. O ISINs são emitidos em mais de 120 jurisdições e o número de agências nacionais de numeração e de nações que trabalham para estabelecer agências nacionais de numeração aumenta a cada ano.

Para informação sobre a ANNA, seus membros e atividades visite anna-web.org.

Contact Information