SOURCE: Cisco

Cisco

September 21, 2011 13:19 ET

Ar, alimento, água, Internet -- Estudo da Cisco revela a importância que a Internet e as redes ganharam como recursos essenciais do dia a dia

Relatório global, que examina a próxima geração da força de trabalho, inclui dados do Brasil e mostra que a maioria dos universitários e jovens profissionais não consegue viver sem a internet

SAO PAULO, BRASIL--(Marketwire - Sep 21, 2011) - Demonstrando o papel cada vez maior das redes na vida das pessoas, um estudo sobre a força de trabalho internacional, anunciado mundialmente hoje pela Cisco, revela que um em cada três universitários e jovens profissionais (33%) considera a Internet um recurso essencial para o ser humano, como ar, água, alimento e moradia. O Cisco Connected Technology World Report de 2011 (Relatório Mundial de Tecnologia Conectada da Cisco) também mostra que mais da metade dos entrevistados não conseguiria viver sem a Internet e a cita como uma "parte integrante de sua vida" -- em alguns casos, mais importante do que carros, namoro e "baladas".

Em sua segunda edição, o estudo realizado anualmente, investiga a relação entre o comportamento humano, a Internet e a difusão das redes, dando uma ideia do pensamento, expectativas e comportamento da próxima geração da mão de obra mundial e como ela influenciará o mundo corporativo. Os resultados fornecem também uma ideia dos desafios da empresa para manterem-se competitivas, levando em conta o futuro das comunicações corporativas, mobilidade e segurança, com tecnologias capazes de fornecer informações em cada vez mais lugares -- de data centers virtualizados e computação em nuvem, a redes com e sem fio tradicionais.

A pesquisa foi realizada em 14 países com universitários e profissionais com até 30 anos de idade dos EUA, Canadá, México, Brasil, Reino Unido, França, Espanha, Alemanha, Itália, Rússia, Índia, China, Japão e Austrália.

Principais resultados
Internet como um dos recursos essenciais para a vida

  • Ar, água, Internet: A opinião dos estudantes (65%) e jovens profissionais (61%) brasileiros está acima da média mundial (33%) quando perguntados se consideram a internet tão importante para suas vidas como água, alimento, ar e moradia. Cerca da metade de todo grupo pesquisado nos 14 países (49% dos universitários e 47% dos trabalhadores) acredita que a internet tem um grau de importância "bem próximo" a isso. Combinados os dois grupos, quatro em cada cinco universitários e jovens trabalhadores dos países pesquisados acreditam que a Internet tem importância vital como parte de seus recursos essenciais diários.
  • Recurso essencial diário: mais da metade dos entrevistados (55% dos universitários e 62% dos trabalhadores) disse que não conseguiria viver sem a Internet e a mencionam como "parte integrante de suas vidas". A taxa no Brasil foi de 66% dos estudantes e 75% dos profissionais pesquisados.
  • O novo meio de locomoção: se tivesse de escolher entre um e outro, a maioria dos universitários de todo o mundo -- cerca de dois em cada três (64%) -- escolheria uma conexão com a Internet, em vez de um carro, índice praticamente igual no Brasil, com 63% dos entrevistados com esta opinião. A China e o Japão destacam-se na preferência de Internet frente ao carro, com 85% e 84%, respectivamente. Mais da metade, porém, de universitários dos EUA, França e Rússia preferem ter um carro ao acesso à Internet.

A nova vida social: Internet em vez de amor e amizade?

  • Primeiro amor: dois em cada cinco universitários entrevistados em todo o mundo (40%) disseram que a Internet é mais importante para eles do que namorar, sair com os amigos ou ouvir música, opinião disparada no Brasil, com 72% dando preferência à Internet.
  • Vida social 2.0: enquanto as gerações anteriores preferiam interagir pessoalmente, a próxima geração indica uma mudança rumo à interação on-line. Mais de um em cada quatro universitários entrevistados em todo o mundo (27%) disse que se manter atualizado no Facebook é mais importante do que ir a "baladas", namorar, ouvir música ou ficar com os amigos. Mais uma vez, a média do Brasil é maior, com 50% dos estudantes achando a interação pelo Facebook mais importante que o contato pessoal. A Espanha também se destaca, com 54% dos estudantes com esta mesma opinião.

O uso de dispositivos móveis para acessar informações... E o fim da TV e dos jornais?

  • Importância dos dispositivos móveis: dois terços dos universitários (66%) e mais da metade dos trabalhadores (58%) mencionam um dispositivo móvel (laptop, smartphone, tablet) como "a tecnologia mais importante de suas vidas". No Brasil, a taxa é menor em relação a outros países, com 35% dos estudantes e 36% dos trabalhadores, que consideram o dispositivo móvel como a tecnologia mais importante. O desktop ainda é o mais importante no País, citado por 47% dos empregados e 52% dos estudantes.
  • Crescimento contínuo de smartphones e mobilidade: os smartphones estão próximos de ultrapassar os desktops na corrida para ser a ferramenta mais prevalente em uma perspectiva global, já que 19% dos universitários consideram os smartphones como seu dispositivo "mais importante" usado no dia a dia, em comparação com os 20% dos universitários que mencionaram seus desktops. Essa descoberta agita o debate acerca da necessidade de escritórios, em oposição à capacidade de se conectar à Internet e trabalhar em qualquer lugar, como em casa ou em locais públicos. Na edição de 2010 do estudo, três em cada cinco trabalhadores em todo o mundo (60%) disseram que escritórios não são necessários para a produtividade.
  • O declínio da TV: ambas as pesquisas -- com estudantes e jovens profissionais -- indicam que a prevalência da TV está diminuindo, atrás de dispositivos móveis como laptops e smartphones. Em uma escala global, menos de um em cada 10 universitários (6%) e trabalhadores (8%) disse que a TV é o dispositivo tecnológico mais importante de seu dia a dia (opinião similar no Brasil -- para 6% dos estudantes e 4% dos profissionais). Como a programação da TV e filmes vêm sendo disponibilizada em dispositivos móveis, é previsto que essa tendência decrescente continue.
  • Fim dos jornais? Apenas um em cada 25 universitários e trabalhadores (4%) entrevistados em todo o mundo disse que o jornal é a sua ferramenta mais importante para acessar informações, mesmo índice levantado entre os estudantes do Brasil.
  • Salvando árvores: um em cada cinco universitários (21%) não compra um livro físico (com exceção de livros escolares) há mais de dois anos -- ou jamais comprou. No Brasil este índice é de 34%.

Influência das mídias sociais -- e distrações do dia a dia

  • Interação com o Facebook: cerca de nove em cada 10 (91%) universitários e trabalhadores (88%) em todo o mundo disseram que têm uma conta do Facebook -- entre eles, 81% dos universitários e 73% dos trabalhadores verificam sua página do Facebook pelo menos uma vez por dia. Desses, um em cada três (33%) afirmou que faz esse acesso pelo menos cinco vezes ao dia.
  • Interrupção ou interferência on-line? Universitários relataram interrupções on-line constantes enquanto fazem projetos ou lição de casa, tais como mensagens instantâneas, atualizações em mídias sociais e ligações telefônicas. Em uma hora, mais de quatro em cada cinco (84%) universitários afirmaram ser interrompidos pelo menos uma vez. Cerca de um em cada cinco universitários (19%) afirmou ser interrompido seis ou mais vezes -- uma média de pelo menos uma vez a cada 10 minutos. Um em cada 10 (12%) afirmou perder a conta de quantas vezes é interrompido enquanto tenta se concentrar em um projeto.
  • O trabalho é a vida: um sinal de que a linha que separa a vida profissional da pessoal está se tornando cada vez mais tênue é que 7 em cada 10 trabalhadores adicionaram seus gerentes ou colegas de trabalho como "amigos" no Facebook. Culturalmente, os EUA apresentaram porcentagens menores de tal situação -- apenas cerca de um em cada quatro (23%) -- embora isso suba para dois em cada cinco se considerarmos apenas os colegas de trabalho adicionados como "amigos" (40%). México (85%), India (85%) e Brasil (84%) têm o maior percentual de funcionários que adicionaram seus colegas de trabalho e superiores como seus amigos no Facebook.
  • Twitter no trabalho: Dos trabalhadores pesquisados globalmente que utilizam Twitter, mais de dois em cada três (68%) seguem seus superiores ou colegas de trabalho; 42% seguem ambos; e um terço (32%) prefere manter suas vidas pessoais para si mesmos. O Brasil é o país com maior taxa de usuários do Twitter, com 84% dos jovens profissionais entrevistados, sendo que 73% acessam suas contas pelo menos uma vez ao dia e 50% dos usuários seguem seus colegas de trabalho.

Sobre o estudo

  • O Connected World Technology Report foi encomendado pela Cisco e realizado pela InsightExpress, uma empresa independente de pesquisa de mercado com sede nos EUA.
  • O estudo global consistiu de duas pesquisas: uma com universitários e outra com jovens trabalhadores com até 30 anos de idade. Cada pesquisa incluiu 200 participantes de cada um dos 14 países, totalizando 2.800 participantes.

Citações de apoio:

  • Marie Hattar, vice-presidente de marketing empresarial da Cisco: "Os resultados do Cisco Connected World Technology Report deveriam levar as empresas a reavaliar o modo como precisam evoluir para atrair talentos e moldar seus negócios. Sem sombra de dúvida, o mundo está se tornando um local onde a Internet é cada vez mais importante, e se torna ainda mais importante a cada nova geração. Os CIOs precisam planejar e expandir suas redes agora para lidar com as demandas de segurança e mobilidade que a próxima geração da força de trabalho trará para suas infraestruturas, e isso precisa ser feito juntamente a uma avaliação adequada das políticas corporativas."
  • Dave Evans, futurista-chefe da Cisco: "Os estilos de vida de "prossumidores" -- a combinação de profissionais e consumidores no local de trabalho -, suas expectativas tecnológicas e seu comportamento com relação ao acesso à informação vem mudando a natureza das comunicações em escala global. As descobertas do Cisco Connected World Technology Report fornece às empresas informações que lhes darão uma vantagem competitiva na hora de tomar decisões de TI e de realizar processos de RH."

Recursos de suporte:

Sobre a Cisco Systems
A Cisco (NASDAQ: CSCO) é líder mundial em redes que transformam o modo como as pessoas se conectam, comunicam e colaboram. Para informações sobre a Cisco, acesse http://www.cisco.com. Para notícias, acesse http://newsroom.cisco.com.

Contact Information