SOURCE: Cisco Systems, Inc.

March 08, 2007 16:18 ET

Cisco Ajuda as Mulheres dos Mercados Emergentes a Compreender a Importância das Habilidades Tecnológicas no Dia Internacional da Mulher

Importância do Programa Cisco Networking Academy Demonstra o Apoio a Iniciativas do Sexo Feminino no Oriente Médio e África, Centro e Leste da Europa, além da América Latina

DUBAI, UNITED ARAB EMIRATES -- (MARKET WIRE) -- March 8, 2007 -- Alunas de uma faculdade em Dubai, grupos de mulheres do centro e do leste da Europa, além de uma chilena de 18 anos, que vive sob condições desfavoráveis, todas têm uma coisa em comum: o desejo de ampliar suas habilidades em TI e colher os frutos que essa capacitação pode dar. Esses são exemplos observados durante um evento realizado em Dubai, em que a Cisco apresentou novidades detalhadas sobre várias iniciativas do sexo feminino e suas histórias de sucesso no mundo em desenvolvimento. A Cisco (NASDAQ: CSCO), que apóia o Dia Internacional da Mulher, também lançou um site novo que mostra as atividades em andamento realizadas por elas dentro da empresa.

Entre as iniciativas e as histórias de sucesso estão um investimento feito pela Cisco no projeto Digital Home and Small Business da Linksys(R) em conjunto com a Faculdade para Mulheres de Dubai, o projeto ”F_email“ da Cisco na Hungria, na Sérvia e na Turquia, o trabalho da Cisco com o Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher (UNIFEM) no Oriente Médio e na África e a história de Caterin Retamales, uma jovem, cuja origem é uma comunidade rural do Chile, e que agora pôde realizar seus sonhos e garantir seu futuro, aproveitando a oportunidade de aprimorar suas habilidades em TI.

Todas essas histórias têm outra coisa em comum: o programa Cisco Networking Academy(R), que tem ajudado a levar habilidades em tecnologias de rede, informação e comunicação a todas as partes do mundo e que comemorará o seu 10º aniversário em outubro de 2007. Desde sua criação, a Networking Academy da Cisco já alcançou mais de 165 países e mais de 2 milhões de alunos, que se graduaram por mais de 10.000 instituições localizadas em escolas de ensino médio, escolas técnicas, faculdades, universidades e organizações centradas na comunidade.

"Ampliar as habilidades técnicas, especialmente entre as mulheres, é algo essencial, já que a rede se tornou um meio que ajuda as pessoas na comunicação, na colaboração e na realização dos negócios", comentou Sue Bostrom, CFO e vice-presidente sênior de Política Mundial e Assuntos Governamentais da Cisco. "O nosso trabalho com as mulheres por intermédio do programa Networking Academy da Cisco e o apoio ao Dia Internacional da Mulher mostram a importância que a empresa dá para a diversidade e o papel da mulher na tecnologia, tanto dentro quanto fora da Cisco."

Entre as iniciativas e as histórias de sucesso anunciadas hoje estão:

--  Projeto Digital Home and Small Business da Faculdade para 
    Mulheres de Dubai
    
    A Linksys, uma divisão da Cisco, e a Faculdade para Mulheres 
    de Dubai darão início em breve a um novo projeto, chamado Digital 
    Home and Small Business. O objetivo é aumentar a consciência em 
    relação à tecnologia e incentivar atividades empresariais entre a 
    comunidade de estudantes presente na principal faculdade para mulheres 
    de Dubai. O acordo incluirá um conjunto completo de demonstrações dos 
    produtos na faculdade com treinamento para as alunas responsáveis pela 
    realização, a oportunidade para que elas criem pequenas empresas e vendam 
    os produtos para redes digitais domésticas demonstrados e a possibilidade 
    de empregos em meio-período nas lojas de Dubai para que ganhem experiência 
    e qualificações adicionais.
    
    "Desde a sua fundação em 1989, a Faculdade para Mulheres de Dubai 
    ampliou o seu comprometimento com o desenvolvimento das habilidades 
    educacionais e tecnológicas das mulheres nos Emirados Árabes Unidos", 
    disse a Dra. Behjat Al Yousuf, diretora associada da Faculdade para 
    Mulheres de Dubai. "Trabalhamos com as principais empresas de tecnologia 
    como, por exemplo, a Cisco para revolucionar o nível de conhecimento em 
    TI dentre as alunas. O nosso principal objetivo era criar idéias, 
    oportunidades, crescimento e desenvolvimento para elas dentro do setor 
    da tecnologia da informação e das comunicações."
   
    Ela acrescenta: "a introdução do Cisco Networking Academy na Faculdade 
    para Mulheres de Dubai foi muito bem recebida por nossas alunas. 
    Esperamos estabelecer uma relação duradoura com a Cisco e com a função 
    essencial que ela desempenha no desenvolvimento das habilidades 
    tecnológicas locais."
    
--  Projeto 'F_email' -- uma nova iniciativa da Cisco na Hungria, 
    na Sérvia e na Turquia
    
    O projeto 'F_email' foi criado para ajudar as mulheres que se 
    encontram excluídas do nível técnico do mercado de trabalho. 
    Muito embora os três países em questão tenham níveis diferentes de 
    integração feminina ao mercado de trabalho, todos eles enfrentam o 
    mesmo desafio: oferecer postos de trabalho de qualidade para as mulheres. 
    O projeto pretende reunir um grupo de profissionais mulheres e ampliar 
    suas habilidades em tecnologias de rede, informação e comunicação, para 
    que elas tenham uma chance melhor de conseguir trabalho no setor de 
    tecnologia. Foi criado um currículo que inclui habilidades básicas 
    como, por exemplo, a procura de um emprego e a comunicação, além de 
    habilidades em TI com computadores e redes. O programa Networking 
    Academy da Cisco se deu de maneira instrumental no desenvolvimento 
    e na coordenação do projeto. O grupo Public Benefit Investment da Cisco 
    forneceu os fundos e o conteúdo em habilidades básicas. Ele também 
    participa do desenvolvimento de um site que dará a plataforma para 
    uma rede internacional por meio da qual mulheres de vários países 
    poderão interagir entre si.
    
--  A Cisco e o Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a 
    Mulher (UNIFEM) na África e no Oriente Médio
    
    As atividades entre o UNIFEM e a Cisco Networking Academy na África 
    estão sendo desenvolvidas desde o início de 2007. Entre elas está o 
    investimento do UNIFEM e da Cisco na implantação de cursos básicos 
    de TI destinados às mulheres do Zimbábue e de Zâmbia. No Zimbábue, 
    o projeto será realizado em uma universidade só para mulheres e em 
    um curso de treinamento. Em Zâmbia, as aulas começarão em um curso 
    de treinamento e em uma escola de ensino médio só para mulheres. Essas 
    iniciativas na África estão acontecendo, além das já existentes 
    envolvendo o UNIFEM e a Cisco Networking Academy, na Jordânia, no 
    Marrocos e no Líbano. 34 cursos foram inaugurados por meio de atividades 
    entre o UNIFEM e a Cisco nesses três países. Mais de 1.000 graduandos 
    com certificações CCNA estão matriculados, dos quais 55% são mulheres. 
    Na Jordânia, 500 de 600 graduandos em CCNA entraram no mercado de 
    trabalho das tecnologias de rede, informação e comunicação.
    
--  Caterin Retamales -- de uma comunidade rural do Chile para a 
    gerência de telecomunicações
    
    A história de Caterin Retamales começa em um Chile rural, país com mais 
    de 15 milhões de habitantes onde as mulheres são maioria. Recém-nascida, 
    seus pais resolveram migrar de Quilicura, a comunidade rural em que 
    viviam, para a cidade de La Florida. Ela é a mais velha de três irmãs e 
    a primeira da família a completar o ensino médio, quando se graduou 
    no programa Cisco Networking Academy pela Escola de Segundo Grau Semper 
    Altius de La Florida em 2005. Isso ajudou Caterin a seguir os passos 
    do tio e começar uma carreira na área de telecomunicações. Em outubro 
    de 2006, Caterin foi promovida a gerente de três instalações de 
    engenharia a serviço da Telefônica. Ela é uma das duas únicas mulheres 
    no trabalho, o que reflete o número baixo de mulheres trabalhando 
    como engenheiras no setor de TI chileno. O caso é um exemplo do 
    progresso que se tem conseguido, e Caterin está muito orgulhosa de 
    seus feitos.
    
    "Acho que é muito importante para as mulheres ousar e estudar 
    as telecomunicações e as redes, já que elas não são tão difíceis 
    quanto parecem", comenta Caterin. "Você só precisa usar a inteligência 
    e tentar fazer parte do desenvolvimento intelectual feminino no 
    ambiente de TI. As telecomunicações são bem legais, e é possível 
    conseguir muito dela."
    
A própria Cisco está ciente da necessidade de uma maior participação das mulheres no setor de tecnologia. Programas dedicados e recursos ajudam as mulheres que trabalham na Cisco no desenvolvimento de suas habilidades como gerentes e executivas. A Cisco também lidera e participa ativamente de atividades educacionais em todo o mundo voltadas para a ampliação dos interesses das mulheres em carreiras no setor de tecnologia.

O Gender Diversity Council da Cisco é constituído por executivos seniores que representam todas as funções comerciais da empresa. Ele supervisiona as iniciativas em contratação, desenvolvimento, progresso, absorção e cultura em toda a empresa a fim de reforçar a cultura da inclusão dentro da Cisco. Entre algumas dessas iniciativas estão o apoio a 34 redes femininas espalhadas pelo mundo e programas desenvolvimento que proporcionam a exposição a modelos e mentores.

Mais informações sobre a iniciativa voltada para o sexo feminino Diversity da Cisco podem ser encontradas em um site que lançamos hoje para ilustrar a riqueza do talento feminino da Cisco: http://www.cisco.com/web/about/ac49/ac55/inclusion/womens_talent.html

Sobre a Cisco Systems

A Cisco (NASDAQ: CSCO) é a líder mundial em redes que transforma a forma como as pessoas se conectam, comunicam e colaboram. Mais informações sobre a Cisco podem ser encontradas em http://www.cisco.com. Para saber as últimas novidades, visite http://newsroom.cisco.com. Os equipamentos da Cisco na Europa são fornecidos pela Cisco Systems International BV, uma subsidiária integral da Cisco Systems, Inc

Sobre a Faculdade para Mulheres de Dubai

Fundada em 1989, a Faculdade para Mulheres de Dubai (DWC) abriu suas portas com 145 alunas. Essas moças estavam abrindo caminho para o futuro das mulheres nos Emirados Árabes Unidos, não apenas se informando, mas também abrindo portas para que as gerações futuras pudessem se unir a elas. Muitas dessas graduadas agora ocupam os cargos mais elevados tanto no setor público quanto no setor privado. Dentre os muitos exemplos estão a primeira Vice-presidente nacional nos Emirados Árabes Unidos do Citibank, a Diretora de Marketing dos Correios dos Emirados Árabes, a Diretora do Dubai Press Club, a Diretora do Dubai Ladies Club e a Diretora do Sharjah Ladies Club.

Desde 1989, o número de alunas matriculadas já chegou a 2.200. A Faculdade agora oferece cursos em Negócios, Tecnologia da Informação, Ciências da Saúde, Tecnologia da Comunicação e Educação. Essas disciplinas foram desenvolvidas em resposta às demandas do mercado de trabalho.

Atualmente, a Faculdade é a instituição que mais cede graduadas de alta qualidade em Dubai. Nossas mais de 2.900 graduadas estão entre as mulheres mais importantes do país a serem escolhidas para cargos de importância em Dubai e a ocuparem os postos mais altos em empresas multinacionais. O Poder Executivo, a Dubai Internet City, o Departamento para o Desenvolvimento Econômico de Dubai, o Poder Judiciário, a Etisalat, o Citibank, a Prefeitura Municipal de Dubai, a Dubai Television, o Ministério da Saúde, a Emirates Airlines, a Emaar, o Emirates Bank Group e Enoc são algumas das muitas instituições que empregam as graduadas pela Faculdade para Mulheres de Dubai.

Mais informações em http://dwc.hct.ac.ae/about/history.shtml

Cisco, o logotipo da Cisco, Cisco Systems, o logotipo Cisco Systems, CCNA, Networking Academy e Linksys são marcas comerciais registradas ou marcas comerciais da Cisco Systems, Inc. e/ou de suas afiliadas nos Estados Unidos e em outros países. Todas as demais marcas comerciais mencionadas neste documento são de propriedade de seus respectivos proprietários. O uso da palavra parceiro não implica uma relação de parceria entre a Cisco e qualquer outra empresa. Este documento é uma Informação Pública da Cisco.

Para obter os RSS Feeds de todas as notícias sobre a Cisco, visite "News@Cisco" no seguinte link:

http://newsroom.cisco.com/dlls/podcasts/rss.html

Contact Information



  • Atendimento da Cisco à Imprensa:
    Samer Costantini
    +971 50 551 3020
    scostant@cisco.com

    Atendimento da Cisco à Imprensa:
    Andrew Phillips
    +44 7771 975925
    andphill@cisco.com

    Atendimento da Cisco de Relações com Analistas:
    Sharon Robinson
    +44 20 8824 9992
    sharobin@cisco.com

    Atendimento da Cisco de Relações com Investidores:
    Aimee Fuller
    +44 20 8824 0874
    asfuller@cisco.com