SOURCE: Herrmann Scholbe

June 30, 2008 07:00 ET

A Herrmann Scholbe interpõe uma ação judicial para obter compensação para as vítimas do acidente aéreo da companhia aérea TACA

TACOMA, WASHINGTON--(Marketwire - June 30, 2008) - O gabinete jurídico de Herrmann Scholbe interpôs num Tribunal Federal dos E.U.A., em Los Angeles, Califórnia, uma ação judicial contra a companhia aérea TACA International Airlines por danos pessoais em quatro passageiros em virtude do acidente aéreo de 30 de Maio de 2008, no vôo da TACA TA 390 em Tegucigalpa, nas Honduras.

A acusação alega que o piloto da TACA tentou aterrar na última metade da pista do aeroporto de Toncontin, particularmente curta e, naquele momento, molhada, depois de ter emergido de uma baixa cobertura de nuvens pela segunda vez. A primeira tentativa de aterragem foi abortada, porque o piloto descobriu que tinha passado o início da pista. O avião seguiu até ao final da pista, precipitou-se por uma ravina e partiu-se em três partes, até se deter numa rua da cidade. Neste acidente, morreram cinco pessoas, e vários passageiros ficaram feridos e a necessitar de hospitalização.

Muitas vítimas não sabem que têm direito a apresentar sua queixa nos EUA. A Convenção de Montreal, um tratado internacional que regula os processos relativos a desastres aéreos, estabelece o facto dos passageiros poderem apresentar suas queixas nesta matéria nos EUA se: 1) o seu bilhete tiver sido adquirido nos EUA; 2) Os EUA forem o destino final da sua viagem; ou 3) se o passageiro viver nos EUA.

Nesta nova era da Internet, a questão do local onde um bilhete foi adquirido coloca questões intrigantes. Uma pessoa pode adquirir bilhetes através do seu computador virtualmente em qualquer parte do mundo, sem saber qual foi o local onde o dinheiro mudou de mãos, devido aos contratos complicados e transacções bancárias inerentes a este processo. Por vezes, os passageiros podem ficar surpreendidos ao descobrir que, em última análise, os seus bilhetes foram adquiridos nos EUA.

A Herrmann Scholbe foi fundada em 1950 pelo ex-Senador de Washington e Comissário para as questões da Segurança, Comissário Karl Herrmann. A empresa tem representado com sucesso centenas de vítimas em inúmeros desastres aéreos. Angariou reputação internacional pelo papel que desempenhou ao vencer casos relacionados com o controverso abatimento do avião coreano “KAL 007” por um caça MIG Soviético em 1983. Através de negociações secretas, a empresa conseguiu garantir a segurança de uma testemunha fundamental de outro dos pilotos das Linhas Aéreas Coreanas que, literalmente, solucionou o caso. O seu papel naquele caso foi apresentado no filme da HBO “Tailspin” e descrito no livro “Death of Flight 007” (“A Morte do Vôo 007”).

Para mais informações, por favor contactar Charles Herrmann: charles@herrmannscholbe.com, escritório: 253.627.8142 ou telemóvel: 253.380.5252. Site da empresa: http://www.herrmannscholbe.com

Contact Information