SOURCE: World Heart Federation

World Heart Federation

March 03, 2011 19:05 ET

Medidas Urgentes São Necessárias Para Fazer Com Que a Doença Reumática do Coração Pare de Matar e Incapacitar "Mais de Um Bilhão" de Pessoas

- Especialistas Internacionais Abordam "O Longo Rastro da Equidade da Saúde Global: Abordando as Doenças Endêmicas Não Comunicáveis de Mais de Um Bilhão" em Harvard -

BOSTON, MASSACHUSETTS--(Marketwire - March 3, 2011) - Uma grande falta de conhecimento, ajuda e determinação política significa que centenas de milhares de crianças e jovens são vítimas de doença reumática do coração (RHD em inglês) nos países mais pobres do mundo, segundo afirmaram especialistas apresentando hoje a conferência "O Longo Rastro da Equidade da Saúde Global: Abordando as Doenças Endêmicas Não Comunicáveis de Mais de Um Bilhão" organizada pelo Departamento de Saúde Global e Medicina Social da Faculdade de Harvard (DGHSM em inglês). A conferência foi organizada por Partners In Health (PIH) em colaboração com Brigham and Women's Hospital (BWH), Harvard School of Public Health (HSPH), Força-Tarefa Global Para Ampliar Acesso aos Cuidados e Controle do Câncer nos Países em Desenvolvimento e NCDAlliance.

"RHD desnecessariamente mata e incapacita pessoas vivendo em extrema pobreza", disse Johanna Ralston, CEO da Federação Mundial do Coração na reunião de Harvard. "Alta prevalência da doença se tornou um marcador de pobreza e um importante fator nutrindo crescentes iniquidades em saúde".

"RHD afeta principalmente crianças, adolescentes e jovens. Ela pode ser prevenida usando um dos antibióticos mais antigos e baratos da lista de medicamentos - penicilina", disse o Dr. Jonathan Carapetis, especialista da Federação Mundial do Coração em RHD e diretor da Menzies School of Health Research em Darwin, Austrália. "RHD foi praticamente eliminada nos países ricos e está declinando rapidamente nas economias emergentes, mas continua devastadora entre os mais pobres dos pobres".

"O financiamento necessário é mínimo e em alguns casos o controle com êxito poderia ser conseguido dando nova prioridade aos orçamentos existentes", continuou o Dr. Carapetis. "Nas ilhas do Pacífico, pacientes com RHD severa tiveram de ser enviados para o exterior para operações da válvula do coração de alto custo colocando um fardo pesado no orçamento do governo local designado para RHD. Entretanto, seria possível executar um programa de controle coordenado para prevenir a progressão para RHD severa por apenas uma fração dos custos dessas operações. Isto impediria, antes de mais nada, que as crianças e jovens sofressem danos no coração".

Estimativas prévias revelam que mais de 15 milhões de pessoas sofrem de RHD e que 350.000 pessoas morrem a cada ano, sendo que muitas outras ficam incapacitadas.(i) Mas um estudo recente realizado na Nicarágua sugeriu que estes dados podem subestimar o número de pessoas com a doença por um fator de quatro a cinco. Isto significa que entre 62 milhões e 78 milhões de pessoas do mundo todo podem atualmente sofrer de RHD, que pode resultar potencialmente em 1.4 milhão de mortes por ano devido a RHD e suas complicações.(ii)

É Necessário Mais Ajuda para os Programas de RHD

Quando RHD foi controlado nos países ricos durante a segunda parte do século 20, ela foi eliminada de muitas agendas do congresso, em grande parte removida do currículo das faculdades de medicina e financiamento para pesquisas substancialmente reduzido. Como resultado, pesquisa, prevenção e controle são subfinanciados. Porém novos líderes estão emergindo nas comunidades médicas dos países mais afetados por essa doença.

Um grupo na África do Sul, liderado pelo Dr. Bongani Mayosi (Groote Schuur Hospital and University da Cidade do Cabo, África do Sul), estabeleceu uma iniciativa em 10 países africanos - o programa Conhecimento, Vigilância, Defesa e Prevenção (ASAP em inglês) - que tem como meta ajudar a reduzir o fardo da RHD e contribuir para eliminar a febre reumática.

"RHD é um problema de saúde sério nos países subsaarianos e ficou claro que precisávamos fazer algo para tentarmos erradicar esta doença", disse o Dr. Mayosi. "Através da iniciativa ASAP mobilizamos pesquisadores e defensores da saúde de todo o continente para obtermos um entendimento preciso da prevalência da RHD, a história natural da doença e atual prática médica para desenvolvermos uma abordagem abrangente que funcione na África".

A Federação Mundial do Coração emergiu como líder dos esforços globais para controlar RHD e apoia a iniciativa ASAP. "Em muitos dos países mais pobres do mundo RHD é uma das maiores causas das doenças do coração", disse Johanna Ralston. "A Federação Mundial do Coração se dedica em trabalhar com médicos, pacientes e outras organizações para promover compromisso para prevenção e controle desta doença".

Sobre RHD

RHD é uma condição crônica do coração resultante da febre reumática, que é, por sua vez, uma doença inflamatória causada por uma prévia infecção estreptocócica do grupo A. RHD é um problema substancial da saúde global que pode resultar em dano irreversível ao coração e morte. Ela ocorre predominantemente nos países em desenvolvimento e é também comum nas populações mais pobres nos países de renda média (por exemplo, Brasil e Índia) e algumas populações nativas em países ricos (Austrália e Nova Zelândia). RHD continuará sendo um problema global a menos que iniciativas de prevenção atuais sejam ampliadas e mantidas.

RHD Pode Ser Prevenida e Controlada

Tratar infecção da garganta causada por estreptococo com antibiótico pode prevenir doença reumática. Antibióticos regulares (normalmente injeções mensais) podem prevenir pacientes com febre reumática de contraírem mais infecções causadas por estreptococo e de causar progressão de dano da válvula. O antibiótico (penicilina G benzatina) usado mais frequentemente é fora de patente e pode ser administrado através de cuidado primário básico de apenas centavos.

Sobre a Federação Mundial do Coração

A Federação Mundial do Coração se dedica em liderar a luta global contra doença do coração e derrame com foco nos países de baixa e média renda através de uma comunidade unida de mais de 200 organizações membros. Com os seus membros, a Federação Mundial do Coração trabalha para promover compromisso global para abordar a saúde cardiovascular a nível de política, gerar e trocar idéias, compartilhar a melhor prática e promover conhecimento científico e transferência de conhecimento para tratar da doença cardiovascular - a causa de morte número um do mundo. A Federação Mundial do Coração é uma organização composta de membros que cresce rapidamente e reúne a força das sociedades médicas e fundações do coração de mais de 100 países. Através dos nossos esforços coletivos ajudamos pessoas do mundo todo a terem uma vida mais longa com um coração mais saudável. www.worldheart.org.

(i) Carapetis JR, Steer AC, Mulholland EK, Weber M. O fardo global das doenças estreptocócicas do grupo A. Lancet Infect Dis 2005; 5:685- 694.

(ii) Paar JA, Berrios NM, Rose JD et al. Prevalência da Doença Reumática do Coração em Crianças e Jovens na Nicarágua. Am J Cardiol 2010;105:1809 -1814.

Contact Information