SOURCE: International Center for Alcohol Policies (ICAP)

International Center for Alcohol Policies (ICAP)

February 26, 2013 08:00 ET

Novo relatório recomenda foco na saúde pública sobre a ingestão perigosa de bebida vs. eliminação do consumo

Resultado contradiz abordagem atual da saúde pública, desacredita perspectivas tradicionais

WASHINGTON, DC--(Marketwire - Feb 26, 2013) - A tradicional perspectiva de saúde pública quanto ao álcool e doenças não comunicáveis é acusada em novo relatorio novo relatório do International Center for Alcohol Policies (ICAP). "Abuso do álcool e saúde global: A defesa de uma abordagem inclusiva quanto ao perigo da bebida", desacredita a perspectiva tradicional de saúde pública que se concentra em um grupo pequeno de pessoas interessadas e ignora os fatores individuais e as normas sociais.

"Infelizmente, algumas das mais amplas perspectivas de política pública de redução da ingestão perigosa de bebidas são baseadas em dados questionáveis e enganadores", disse Marcus Grant, Presidente da ICAP. "Este relatório utiliza uma ampla fonte de pesquisas para esclarecer os enganos e propor um modelo mais eficaz que envolve um grupo mais amplo de interessados e recursos, incluindo os produtores de bebidas alcoólicas".

Nos últimos dez anos tem havido um aumento do reconhecimento do impacto das doenças não comunicáveis (NCDs) nos países desenvolvidos e em desenvolvimento. O consumo perigoso do álcool também é um fator contribuinte para o estilo de vida de diversas doenças mais disseminadas e perigosas, com o abuso do álcool sendo responsável por quatro por cento dos encargos globais com as doenças.

O relatório observa que a redução dos padrões de alto consumo de álcool terá um impacto substancialmente maior do que o limite da disponibilidade física e econômica do álcool. Diferente do uso de tabaco que é perigoso em qualquer nível, o consumo leve a moderado de álcool pode trazer benefícios saudáveis para alguns grupos. O benefício é bem pequeno em estigmatizar o que, para muitas pessoas, é um comportamento normal.

A Estratégia Global do WHO para a Redução do Consumo Perigoso do Álcool reconhece essa diferença e que uma maior parte dos interessados do contribui para uma resposta de saúde pública mais eficaz. Com a desaceleração da economia, a luta contra uma questão de saúde pública tão importante não pode permitir a exclusão dos principais influenciadores, como os produtores de bebidas alcoólicas ou os recursos que eles podem oferecer.

O foco da comunidade de saúde pública, legisladores, organizações não governamentais e até mesmo os produtores de bebidas alcoólicas, deve ser na redução do padrão de consumo não saudável, e não na eliminação de qualquer consumo.

"Abuso do álcool e saúde global: A defesa de uma abordagem inclusiva quanto ao perigo da bebida", está disponível para download aqui.

O International Center for Alcohol Policies (ICAP; www.icap.org) é uma organização sem fins lucrativos apoiada pelos maiores produtores internacionais de bebida alcoólica. Fundado em 1995, a missão do ICAP é promover o entendimento do papel do álcool na sociedade e ajudar a reduzir o consumo perigoso de bebida alcoólica em todo o mundo. O trabalho do ICAP para incentivar o diálogo e parcerias na área de política da bebida alcoólica está voltado para o seu compromisso para com soluções pragmáticas e viáveis que podem ser personalizadas de acordo com as considerações e necessidades culturais. O ICAP é reconhecido pelo United Nations Economic and Social Council (UN ECOSOC) como uma organização não governamental com Status Especial de Consultoria.

1519 New Hampshire Avenue, NW Washington, D.C. 20036 USA
Tel: +1.202.986.1159 Fax: +1.202.986.2080 www.icap.org

Contact Information



  • Para consultas, contate a
    Vice-Presidente de Comunicações do ICAP:
    susanb@icap.org
    +1 (310) 387-3172