SOURCE: International Diabetes Federation (IDF)

October 22, 2009 09:00 ET

O Presidente da Federação Internacional da Diabetes apela a uma acção concertada para parar a epidemia da diabetes

MONTREAL--(Marketwire - October 22, 2009) - Os dados recentemente publicados da Federação Internacional da Diabetes (IDF) mostram que o número de pessoas com diabetes continua a crescer sem verificação. Os números revelam que, se não forem tomadas medidas para mudar o trajecto da epidemia, o número de pessoas com diabetes será próximo de 440 milhões em 2030. Numa conferência de imprensa levada a cabo no fim do 20. degrees Congresso Mundial da Diabetes do IDF, o Presidente Jean Claude Mbanya da República dos Camarões exprimiu a sua preocupação pelos números.

"Acabámos de anunciar a notícia desanimadora que 285 milhões de pessoas vivem hoje com a diabetes. Os nossos dados mostram que os países de rendimento baixo e médio, onde brevemente 4 em cada 5 pessoa terá diabetes, são os mais afectados pela doença. Os homens e as mulheres mais afectados estão em idade de trabalho - o ganha-pão das suas famílias. A diabetes é agora um assunto em desenvolvimento que ameaça minar economias. "

O presidente eleito do mundo da diabetes, diz que a duração do seu mandato será definida por dois assuntos urgentes no cuidado da diabetes. Primeiramente, a necessidade de assegurar que as pessoas com diabetes recebam cuidados com qualidade e instrução informada que precisam para melhor controlarem a sua doença e evitar as suas complicações e, segundo, a necessidade de fazer com que as pessoas deixem de desenvolver a diabetes.

O presidente do IDF salientou a necessidade de aumentar o acesso à instrução da diabetes de modo a que as pessoas que vivem com a doença possam ter um papel informado e fundamental no seu próprio cuidado. "Da perspectiva global, muitas pessoas com diabetes podem encontrar-se sozinhos num trajecto que os pode conduzir a complicações, depressão e a uma morte antecipada. Nós precisaremos de aumentar a consciência e prestar educação sanitária para nos certificarmos que a diabetes é detectada numa fase inicial e para nos certificarmos que os recém diagnosticados são conduzidos ao longo de um trajecto de tratamento e de auto-suficiência informada que lhes dá o poder de evitar ou atrasar as consequências potencialmente devastadoras da doença."

Os números do IDF mostram que o número de pessoas com Tolerância Danificada à Glicose (IGT - às vezes chamado de pré-diabetes), que têm o risco elevado de desenvolver diabetes tipo 2, alcançaram igualmente níveis alarmantes. Crê-se que 344 milhões tenham agora pré-diabetes com o número estimado para atingir os 472 milhões em 2030 se a taxa actual continuar. Para o professor Mbanya, isto sinaliza uma necessidade para a promoção da saúde apoiada pela educação sanitária. "Nós precisamos de parar as pessoas antes que comecem a viagem da diabetes. Nós precisamos de agir antes que as pessoas desenvolvam a doença. Este será um desafio enorme. Afectar a mudança comportamental exigida e criar ambientes saudáveis exigirão uma colaboração intersectorial sem precedentes."

O professor Mbanya descreveu o estilo de vida insalubre como um tipo global bem sucedido e reconheceu que seria um desafio enorme lutar contra as forças poderosas sociais, culturais e de mercado que estão a alimentar a epidemia da diabetes. Insistiu, no entanto, que devem ser tomadas medidas. Convidou a comunidade internacional e os doadores a responder à epidemia da diabetes e de outras doenças relacionadas com o mesmo vigor com que abordaram as doenças infecciosas. Apelou aos governos para se certificarem que escolhas de vida saudáveis fossem disponibilizadas e a preços acessíveis, e a fazerem o seu melhor para ajudar a impedir a diabetes e outras doenças chamadas de doenças de estilo de vida.

"Não será fácil," disse o professor Mbanya, "mas é uma batalha que todos nós temos que travar. A nossa escolha é simples. Ou passamos o tempo todo a limpar o soalho, ou nos levantamos e fechamos a torneira."

Nota aos Editores:

A Federação Internacional da Diabetes (IDF) é uma organização central de mais de 200 associações membro em mais de 160 países, representando mais de 285 milhões de pessoas com diabetes, as suas famílias, e os seus fornecedores de serviços de saúde. A missão do IDF é promover no mundo inteiro o cuidado, a prevenção e uma cura da diabetes. As suas actividades principais incluem a educação para pessoas com diabetes e profissionais de cuidados médicos, campanhas de sensibilização públicas e a promoção e a troca de informação. O IDF é uma organização não governamental em relações oficiais com WHO e associado ao Departamento de Informação Pública das Nações Unidas. O IDF organiza o Congresso Mundial da Diabetes a cada dois anos. Para mais informações, visite por favor www.idf.org

Contact Information

  • Contacto dos meios de comunicação:
    Kerrita McClaughlyn
    Media Relations Manager
    Federação Internacional da Diabetes
    Telemóvel: +32 487-530-625
    Sala de Imprensa do IDF (Montreal):
    +1 514-789-3407 e +1 514-789-3409
    E-mail: media@idf.org