SOURCE: Pangolin Diamonds Corp.

Pangolin Diamonds Corp.

March 25, 2013 11:26 ET

Pangolin Diamonds Corp. atualiza acionistas sobre as atividades de exploração de diamantes Kimberlite em 2013 em Botsuana

- Perfuração de diamante tem início no projeto Tsabong North

-Mais de 80 alvos prontos para perfurar kimberlite identificados

- Vários alvos prioritários ultrapassam 20 hectares na área da superfície

- Financiamento de $2,171 milhões concluído para financiar as atividades de exploração em 2013

TORONTO, ONTARIO--(Marketwire - Mar 25, 2013) - A Pangolin Diamonds Corp. (TSX VENTURE: PAN) (a "Empresa" ou "Pangolin") tem o prazer de anunciar para os acionistas sobre as atividades de financiamento e de exploração de diamantes da Empresa em 2013 nos projetos de diamante Tsabong North, Jwaneng South, Malatswae e Mmadinare Diamond (os "Projetos") 100% de propriedade da Empresa em Botsuana, África.

Atividades de exploração de 2008 a 2012

Antes da transação reversa de takeover (a "Transação") anunciada no dia 21 de fevereiro de 2012 (veja o press release Key Gold Holding Inc. (TSX VENTURE: KGH)), a Pangolin gastou aproximadamente $1 milhão para delinear melhor os alvos potenciais de kimberlite. A Empresa realizou a amostragem e pitting de magnética aérea, prospecção detalhada e de solo, geoquímica de traços de elementos e de minerais pesados em todos os sues Projetos. Através deste processo, mais de 80 alvos de perfuração de kimberlite foram identificados e priorizados para perfuração futura, sendo que 50 deles estão situados no Projeto Tsabong North.

Conclusão do financiamento de 2013

A Pangolin concluiu com sucesso um financiamento que levantou $2,171 milhões durante o processo da Transação. Estes fundos estão sendo usados pelas atividades de exploração da Empresa em 2013.

Atividades de exploração atuais e planejadas para 2013

O fundo arrecadado foi alocado para o programa de perfuração de diamante, detalhados levantamentos magnéticos e de gravidade do solo dos alvos de kimberlite prioritários. A perfuração de diamante teve início no Projeto Tsabong North. A Empresa adquiriu duas plataformas de perfuração de diamante e uma Planta de Separação de Mídia Densa (ou "Planta DMS") totalmente portátil de 1 tonelada por hora com capacidade para preparar amostras e fazer concentrados de diamante. A gerência e líderes de equipe da Pangolin têm mais de 90 anos de experiência com exploração de diamante na África do Sul.

Projetos de diamante da Pangolin em Botsuana

A Pangolin tem 11 Licenças de Prospecção em Botsuana que abrangem uma área de 5.307 km2. As Áreas do Projeto são 100% de propriedade da empresa e localizadas em Tsabong North, Jwaneng South, Malatswae e Mmadinare.

Link para o mapa de Botsuana e locais do Projeto da Pangolin: http://www.pangolindiamondscorp.com/pdfs/PDC-Property-Map-Nov-2012.pdf

Projeto Tsabong North

O Projeto Tsabong North está localizado a aproximadamente 100 km ao norte da cidade de Tsabong no sudoeste de Botsuana e tem 1.545 km2. Ele é composto de concentrações anômalas de indicadores de kimberlite e grandes características geobotânicas. A Pangolin já identificou mais de 50 alvos aeromagnéticos prontos para perfuração na área do Projeto, sendo que muitos deles têm áreas de superfície com mais de 20 hectares. As atividades de exploração na área são guiadas em parte pelas recomendações de um National Instrument 43-101 Technical Report preparado para o Projeto.

O Projeto está situado em Archaean Kaapvaal Craton, imediatamente ao norte do campo de kimberlite diamantífero de Tsabong com a tubulação M-1, o maior tubo de kimberlite diamantífero do mundo (www.firestonediamonds.com). O Diretor-Executivo e maior acionista da Pangolin, Dr. Leon Daniels, fez parte da Falconbridge Team que desenvolveu o modelo geológico do tubo M-1 de 180 hectares descoberto em 1980. Ele também participou diretamente da descoberta de vários novos kimberlites no campo de kimberlite em Tsabong.

A amostragem de solo da Pangolin produziu concentrações altamente anômalas de indicadores de kimberlite na área do Projeto. As análises com microssonda de indicador de minerais confirmaram a presença de garnets G10, indicando a presença de uma capa condutiva à cristalização de diamantes. Vários indicadores ocorrem, incluindo restos de kelyphite que indicam a proximidade com o kimberlite. Os resultados de traços de elemento de lixiviação por enzima são consistentes com os resultados de traços de elementos de orientação dos kimberlites conhecidos perto do Projeto.

Projeto Jwaneng South

O Projeto Jwaneng South tem 799,4 km2. Está situado à 50 km ao sul da Mina Jwaneng da De Beers, que é a mina de diamante mais rica do mundo que já produziu de 12,5 a 15 milhões de carats ao ano desde 1982 (www.debswana.com).

A área do Projeto tem grandes recursos geobotânicos e inclui quatro alvos que devem abranger mais de 20 hectares cada uma delas. Os estudos dos indicadores, trabalho aeromagnético e traços de elementos apoiam estes alvos de alta prioridade.

Cascalhos aluviais de Rooikoppie foram descobertos ao sul da área do Projeto. Estes cascalhos aluviais que não foram relatados anteriormente em Botsuana, são uma fonte bem conhecida de diamantes na África do Sul.

Projeto Malatswae

O Projeto Malatswae Project abrange uma área de 1.174 km2 localizada perto da mina de diamante Orapa da De Beers. Os alvos primários identificados são diamantes potenciais oriundos do Campo de Kimberlite Orapa (www.debswana.com). A mina Orapa da De Beers é uma das maiores minas de diamantes de poço aberto do mundo, produzindo 17,3 milhões de carats somente em 2006.

Uma análise dos programas de exploração de diamantes anteriores por diversas empresas nos últimos 25 anos identificou uma ampla disseminação de garnets kimberlíticos na área do Projeto Malatswae (Botswana Department of Mines Library). A ampla distribuição espacial e química dos garnets indicam que a área tem o potencial de ser um novo campo de kimberlite. Isto aumenta o potencial de descoberta de outras fontes de kimberlite na área do Projeto.

A Pangolin desenvolveu dois objetivos para exploração do Projeto Malatswae: para a descoberta economicamente viável de depósitos de diamantes aluviais e descoberta de fontes primárias de diamantes na área do projeto, como kimberlites diamantíferos.

Projeto Mmadinare

O Projeto Mmadinare tem 1.345,6 km2. Ele tem diversos recursos geobotânicos semelhantes aos kimberlites conhecidos, muitos deles estreitamente associados com indicadores de minerais. A De Beers relatou anteriormente indicadores de kimberlite na área do Projeto (Botswana Department of Mines Library). O ambiente geológico é semelhante à operação de minas de diamantes, incluindo Venetia, Oaks, Martinsdrift e River Ranch.

Os dados técnicos deste press release foram analisados e aprovados pelo Dr. Leon Daniels, B.Sc., Ph.D., Membro da AIG, Presidente do Conselho da Pangolin, e o Sr. Jean Lafleur, B.Sc., M.Sc., P. Geo., e um Diretor independente da Empresa. As duas são Pessoas Qualificadas sob as regras National Instrument 43-101.

Mineração de Diamantes em Botsuana

Botsuana é o maior país produtor de diamantes do mundo por valor, fornecendo 21% da produção de diamante bruto do mundo. É o local das duas maiores minas de diamantes do mundo, Jwaneng e Orapa, e quatro minas de diamantes que não são de propriedade da De Beers - Gem, Firestone, Lucara e Mantle. Os primeiros diamantes foram descobertos em Botsuana em 1959 e os primeiros kimberlites foram descobertos em 1967. Desde então, 275 kimberlites foram descobertos no país. Com um longo e bem estabelecido Código de Mineração, Botsuana é classificada pelo Fraser Institute como o melhor país da África para mineração. O país tem a mais alta classificação de crédito da África. Desde a sua independência em 1966, Botsuana é governada pelo Partido Democrata de Botsuana em uma democracia multipartidária.

Links: http://www.heritage.org/index/country/botswana

Pangolin Diamonds Corp.

A Pangolin Diamonds Corp. está construindo uma principal empresa de exploração e desenvolvimento de diamantes no coração de Botsuana, o maior país produtor de diamantes por valor do mundo. A Empresa é 100% proprietária de 11 Licenças de Prospecção cobrindo 5.307 km2, incluindo os Projetos Tsabong North, Jwaneng South, Malatswae e Mmadinare.

A gerência e líderes de equipe da Pangolin têm mais de 90 anos de experiência com exploração de diamante na África do Sul. A Empresa está equipada para exploração, com duas plataformas de perfuração de diamantes, e uma Planta de Separação de Mídia Densa totalmente portátil de 1 tonelada por hora para preparo de amostras e fazer concentrados de diamante.

A Pangolin tem 58.706.401 ações ordinárias em circulação.

Visite o nosso website: www.pangolindiamondscorp.com.

Faça o download da mais recente Apresentação da Empresa em

http://www.pangolindiamondscorp.com/pdfs/PAN-PPt-MineAfrica-2013.pdf.

Nem a TSXV nem a sua Regulation Services Provider (de acordo com o termo definido nas políticas da TSXV) são responsáveis pela adequação ou correção deste release.

Contact Information