SOURCE: Berent Associates

April 20, 2007 11:24 ET

Reflexões sobre o Massacre na Virginia Tech: o que motiva atos violentos de indivíduos solitários e a violência nas escolas

GREAT NECK, NY -- (MARKET WIRE) -- April 20, 2007 -- "Muitos de meus pacientes fazem relações com os autores dos massacres nas escolas", disse Jonathan Berent, L.C.S.W., autor de "Beyond Shyness: How to Conquer Social Anxieties" (Simon & Schuster). "Inúmeros de meus pacientes adolescentes e adultos jovens socialmente deslocados me disseram entender por que os jovens atiram em outros jovens. Existe um perfil definido dos adolescentes que participaram de atos violentos nas escolas nesta última década. Esses indivíduos não eram bem ajustados em termos sociais ou mantinham relações saudáveis com os colegas. Além disso, eles eram os últimos dentro da 'hierarquia' social e costumavam ser hostilizados pelos demais, o que provocava uma fúria interna com o passar do tempo e que culminava em sua explosão."

Indivíduos solitários e revoltados como, por exemplo, o atirador na Virginia Tech, Cho Seung Hui, sentem raiva quando isolados por seu sentimento de ansiedade social. Hui era descrito como "tímido" pelos colegas e os relatos parecem confirmar que ele sofria de mutismo seletivo. Indivíduos revoltados como, por exemplo, Jeffrey Dahmer, o criminoso e psicopata que matava em série, foi descrito como sendo uma criança "muito tímida" por seus pais. Theodore Kaczynski, o "Unibomber", corria em direção ao seu quarto e se escondia feito criança quando ouvia o barulho de visitas estacionando o carro próximo a casa de seus pais. Em ambos os casos, as características de ansiedade fobia social evoluíram para condições psiquiátricas mais sérias.

Grande parte das pessoas com ódio e raiva decorrentes dessa ansiedade social se destroem, o que significa que sua raiva é internalizada e reprimida. Essa energia renovada se transforma em diversos problemas, uma vez que a raiva leva à depressão, à ansiedade, à obsessão e a inúmeras desordens relacionadas ao estresse. As pessoas ficam com raiva quando evitam situações que não deveriam ser evitadas ou quando existe a consciência de que não deveriam evitá-las.

Há pouquíssimos recursos disponíveis para tratamento da ansiedade social, o 3º problema de saúde mental mais recorrente. A ansiedade social é uma "doença" de resistência. Grande parte de quem padece essa doença não busca ajuda.

Para obter material de diagnóstico e informações a respeito, visite http://www.socialanxiety.com/area-angry-loners.html

Desde 1978, Jonathan Berent, L.C.S.W., A.C.S.W., é pioneiro em psicoterapia voltada à ansiedade social. Ele e sua equipe trabalharam com milhares de pessoas de todas as idades.

800-248-2034

www.socialanxiety.com

Contact Information



  • Contato:
    Jonathan Berent
    800-248-2034