SOURCE: IASLC

IASLC

September 08, 2015 20:43 ET

Resumo da Coletiva de Terça-feira da IASLC

Pesquisadores concentrados nos tratamentos de mulheres, não fumantes e com menos de 40 anos

DENVER, CO--(Marketwired - 8 de setembro de 2015) - "Apesar do tremendo avanço no tratamento do câncer de pulmão, ainda não existe um diagnóstico específico disponível para o tratamento das mulheres", disse a Dra. Silvia Novello, Professora Associada, Departamento de Oncologia, University of Turim, Itália. A Dra. Novello fez seus comentários na abertura da coletiva de hoje na 16th World Conference on Lung Cancer (WCLC) apresentada pela International Association of the Study of Lung Cancer (IASLC), que abrangeu muitos tópicos como a nova edição do TNM Staging System, a nova classificação da OMS de tumores de pulmão e o aumento do número de câncer de pulmão em pacientes que nunca fumaram.

"Devemos destacar [nas pacientes mulheres] que este é o caso mesmo com o nosso conhecimento das mulheres e o câncer de pulmão de diversas teorias científicas", disse a Dra. Novello.

  • Não há evidência de mudanças na epidemiologia do câncer de pulmão e a mulher
  • O tabaco é o principal responsável pelo câncer de pulmão nas mulheres
  • As mulheres são a maioria dentre os pacientes com câncer de pulmão que nunca fumaram
  • Os hormônios podem ter influência e ainda estamos debatendo esta influência

"Temos que examinar a ciência por trás de cada uma destas quatro suposições e discutir como o tratamento das mulheres deve ser específico no futuro", disse ela.

Após a discussão sobre o sexo e o câncer de pulmão pela Dra. Novello, a IASLC também publicou documentos iniciais que irão ajudar os médicos com o diagnóstico e classificação do câncer de pulmão, inclusive o Revised (8th) Edition of TNM Staging System for Lung Cancer e a 2015 WHO Classification of Tumours of the Lung, Pleura, Thymus and Heart (Quarta Edição).

A ser publicada em 2016, oitava edição do TNM Classification of Lung Cancer com 94.708 pacientes diagnosticados em todo o mundo entre 1999-2010. O objetivo é explorar e analisar ainda mais o impacto do prognóstico do tamanho do tumor e das categorias diferentes dos descritores T, a significância do prognóstico da carga que o tumor tem nos linfonodos hilares e mediastinais, e a confirmação das categorias M1 (M1a e M1b) revisadas na sétima edição da classificação, juntamente com o impacto do prognóstico no número e localização anatômica da metástase. Clique aqui para obter mais informação e detalhes.

"Para que os pacientes com câncer recebam o tratamento ideal, os médicos precisa ter uma classificação histológica correta do tumor e conhecer suas características genéticas", disse o Dr. William Travis, Patologista Torácico Assistente, Dept. de Patologia, Memorial Sloan Kettering Cancer Center, Nova York. O Dr. Travis afirmou que as profissões de patologia e oncologia avançaram muito com a publicação da 2015 WHO Classification of Tumours of the Lung, Pleura, Thymus and Heart (Quarta edição), disponível na conferência e online no http://whobluebooks.iarc.fr/ ou www.who.int/bookorders/. Clique aqui para obter mais informação e detalhes.

A Dra. Novello também apresentou pesquisadores que mostraram seus dados em uma área crescente de preocupação para os pesquisadores de câncer de pulmão: pessoas que nunca fumaram e, no entanto, são diagnosticadas com câncer de pulmão.

Aumento da incidência do câncer de pulmão em pacientes não fumantes
Os pesquisadores de câncer de pulmão da Grã Bretanha descobriram que a incidência de pessoas que nunca fumaram e foram diagnosticadas com carcinoma de células não-pequenas de câncer de pulmão (NSCLC) aumentou de 13 para 28 por cento nos últimos seis anos. Muitos destes não fumantes quando buscam os médicos estão em fases muito mais avançadas.

O Dr. Eric Lim, Royal Brompton & Harefield NHS Foundation Trust, Londres e seus colegas querem definir a incidência e os recursos clínicos dos não fumantes que descobrem cedo o suficiente a doença para fazer uma cirurgia para que eles possam determinar se é possível identificar os pacientes que correm risco. Para isso, ele analisou retrospectivamente os dados de um banco de dados prospectivo com pacientes que se submeteram a cirurgias no hospital.

2.170 pacientes foram operados de câncer de pulmão entre março de 2008 a novembro de 2014. A incidência anual de desenvolvimento de câncer de pulmão em pessoas que nunca fumaram aumentou anualmente de 13, 15, 18, 19, 20, 20 para 28 por cento, e isto é atribuído a um aumento absoluto no número e não na mudança da proporção de pessoas que nunca fumaram e ex-fumantes.

Lim e seus colegas observaram mais do que o dobro na incidência anual de pessoas que nunca fumaram que desenvolveram NSCLC nos últimos sete anos, um aumento de 13 para 28 por cento. A equipe de Lim identificou inúmeros sintomas não específicos nestes pacientes, indicando que a obtenção de imagens poderia ter um papel mais importante no diagnósticos destes paciente em uma etapa mais inicial.

"Esta pesquisa sugere claramente que precisamos ampliar o nosso trabalho para a detecção antecipada do câncer de pulmão neste coorte que está aumentando sem apresentar nenhum fatores de riscos observáveis", disse Lim.

Aumento da proporção do câncer de pulmão em pacientes que nunca fumaram
O aumento do índice de câncer de pulmão em pacientes que nunca fumaram também está aumentando nos Estados Unidos, de acordo com um relatório realizado em três hospitais no Texas e Tennessee pela Dra. Lorraine Pelosof, Professora Assistente, UT Southwestern Medical Center, Dallas, Texas.

Pelosof e seus colegas conduziram um estudo retrospectivo e concluiu que a porcentagem de pacientes que nunca fumaram que apresentaram NSCLC entre 1990 e 2013 aumentou. A análise também demonstrou um aumento da proporção de pessoas que nunca fumaram com casos de NSCLC e que estes pacientes são em maior número mulheres. Por outro lado, a porcentagem de pessoas que nunca fumaram que apresentaram SCLC não aumentou substancialmente durante este período.

"Devido à biologia e, portanto, as opções de tratamento do câncer de pulmão para pessoas que nunca fumaram normalmente são diferentes aos dos fumantes, é necessário um maior estudo da etiologia do aumento da incidência do câncer de pulmão em pessoas que nunca fumaram", disse Pelosof.

Pesquisadores concluíram que pacientes jovens com câncer de pulmão apresentam uma mutação acionável
Além das pessoas que nunca fumaram, pesquisadores como a Dra. Barbara Gitlitz estão bastante interessados nos pacientes com menos de 40 anos com câncer de pulmão.

A Dra. Gitlitz, Professora Associada de Medicina Clínica da USC Keck School of Medicine, LA, apresentou dados que mostram que os pacientes com câncer de pulmão e com menos de 40 anos têm uma maior chance de ter uma alteração genômica focada que pode levar a tratamentos mais eficazes.

O câncer de pulmão primário cada vez mais é entendido como uma doença heterogênica composta de subtipos definidos genomicamente que exigem estratégias de tratamentos diferentes. A equipe de pesquisas da Dra. Gitlitz apresentaram a teoria de que uma pessoa com menos de 40 anos que é diagnosticada com câncer de pulmão tem uma característica associada com o aumento das chances de uma alteração genômica focada. A equipe dele identificou um subtipo enriquecido genomicamente de câncer de pulmão, facilitou uma terapia focada e estabeleceu o trabalho básico para estudos mais aprofundados dos fatores de risco genéticos e ambientais do câncer de pulmão.

"Queremos provar que a prevalência de alterações genômicas focadas será ainda maior na nossa população comparado com o Lung Cancer Mutational Consortium (LCMC - Consórcio Mutacional de Câncer de Pulmão) e programar o nosso estudo para mostrar um aumento de 35 a 50 por cento; e melhoria no uso de terapia focada de 22 a 40 por cento", disse ela. "Os resultados preliminares excederam a nossa expectativa com 75 por cento dos nossos pacientes com adenocarcinoma metastático apresentando uma mutação acionável".

Perfil ontogênico do adenocarcinoma de pulmão encontrado nos jovens
Os pesquisadores esperam que a administração de terapias moleculares venham a ser consideradas para o adenocarcinoma em estágio avançado nos jovens com câncer de pulmão, de acordo com a apresentação do Dr. Kosuke Tanaka, Departamento de Genética do Câncer, Nagoya University Graduate School of Medicine; Divisão de Oncologia Molecular, Aichi Cancer Center Research Institute, Japão.

O Dr. Tanaka e seus colegas fizeram um estudo retrospectivo de 67 pacientes diagnosticados consecutivamente com adenocarcinoma em estágio I-IV com menos de 40 anos de idade entre 2009-2014 e analisaram suas características clínicas e genéticas. A idade mediana dos 67 pacientes foi de 36 anos e o Dr. Tanaka e seus colegas identificaram 75 por cento com algum condutor oncogênico. A equipe de Tanaka examinou oncogenes raros em 10 de 14 pacientes com negativa tripla, e descobriu que três pacientes tinham a mutação HER2 e dois a translocação RET.

As mutações EGFR e Kras e as translocações EML4-ALK foram frequentemente positivos no adenocarcinoma dos pacientes com câncer de pulmão. O estudo identificou mutações HER2 e BRAF, e translocaçõesRET e ROS1 em menos casos.

"Um dos motivos pelo qual os pacientes mais jovens supostamente apresentam números mais altos de condutores oncogênicos é que eles não têm um histórico de exposição ao tabaco ou outros fatores ambientais que possam resultar em carcinógenos. Na realidade, a maioria dos condutores oncogênicos está associada com o histórico de ausência de fumo, exceto a mutação Kras", disse o Dr. Tanaka.

Clique aqui para ver os detalhes de como participar de coletivas futuras da WCLC 2015.

O painel foi moderado pelo Dr. Everett Vokes, Co-Dirigente do Congresso, Professor John Ultmann e chair do Departamento de Medicina da University of Chicago.

WCLC:

A WCLC é a maior conferência do mundo dedicada ao câncer de pulmão e outras doenças malignas do tórax pois atrai 7.000 pesquisadores, médicos e especialistas de mais de 100 países. O objetivo da conferência é aumentar o conhecimento e a colaboração para que os desenvolvimentos mais recentes no câncer de pulmão sejam entendidos e implantados em todo o mundo. Com o tema "A Luta contra o Câncer de Pulmão", a conferência abrangerá uma ampla variedade de disciplinas e apresentará resultados de vários estudos de pesquisa e testes clínicos. Pela primeira vez a IASLC convidou sobreviventes para participar da conferência gratuitamente. Para mais informação sobre a 2015 WCLC, visite: http://wclc2015.iaslc.org/.

IASLC:

A International Association for the Study of Lung Cancer (IASLC) é a única organização global dedicada exclusivamente ao estudo do câncer de pulmão. Fundada em 1974, a associação conta com quase 4.000 especialistas de concluiu em 80 países. Para mais informação, visite: https://www.iaslc.org/.

Contact Information