SOURCE: Aura Minerals Inc.

Aura Minerals Inc.

September 04, 2012 23:31 ET

UPDATE: AURA MINERALS ANUNCIA ESTUDO DE VIABILIDADE POSITIVO EM SEU PROJETO "SERROTE DA LAJE"

VANCOUVER, CANADA--(Marketwire - Sep 4, 2012) -  A Aura Minerals Inc. ("Aura Minerals" ou a "Empresa") (TSX: ORA) anuncia com satisfação o recebimento dos resultados do Estudo de Viabilidade do seu Projeto Serrote da Laje ("Serrote"), localizado próximo à cidade de Arapiraca, no Estado de Alagoas, Brasil.

O Estudo de Viabilidade, elaborado sob orientação da Micon International Limited ("Micon"), inclui contribuições de outros consultores, entre eles a SNC Lavalin-Minerconsult. O Estudo descreve o escopo, projetos e viabilidade do desenvolvimento do Serrote com base em uma mina a céu aberto, com uma planta de beneficiamento de cobre processando 19 mil toneladas de minério por dia, e produzindo aproximadamente 30 mil toneladas (aproximadamente 66 milhões de libras) de cobre contido anualmente.

Destaques (todos os valores estão expressos em dólares dos Estados Unidos - USD)

  • Mina a céu aberto e planta de beneficiamento de cobre processando sete milhões de toneladas por ano de minério;

  • Valor Presente Líquido após impostos (VPL - 8%) de USD 191 milhões, e Taxa Interna de Retorno (TIR) de 19,4%, baseados em previsões consensuais dos preços dos metais;

  • Custo de investimento de USD 420 milhões;

  • Custo de produção de USD 1,40 por libra de cobre durante a vida da mina;

  • Produção total de 831 milhões de libras de cobre e 171 mil onças de ouro ao longo dos 13 anos de vida da mina;

  • Oportunidades futuras de recuperação de magnetita e beneficiamento de minério oxidado;

  • Dimensões dos depósitos adjacentes permanecem em aberto, e podem propiciar extensão do tempo de vida da mina ou expansão do Projeto;

  • Portaria de Concessão de Lavra e Licença de Instalação já obtidas;

  • Negociações de reassentamento de comunidades em curso;

  • Início da produção previsto para meados de 2015;

  • Negociações para financiamento do projeto em curso.

Jim Bannantine, Presidente e CEO da Aura Minerals, declarou que "A conclusão do Estudo de Viabilidade do Serrote é um marco importante para a Aura Minerals. O Estudo demonstra que o Projeto é comercialmente viável e benéfico para a região. O Serrote pode se tornar uma fonte doméstica de suprimento de concentrado de cobre para o Brasil, devido à relativa proximidade da refinaria existente no estado da Bahia, evitando a necessidade de importação de parte da demanda por esse produto. O Projeto também está a 150 quilômetros de distância do Porto de Maceió, e dispõe de suprimento de água e energia elétrica, e da proximidade de uma cidade com 225 mil habitantes que é Arapiraca, a 15 quilômetros da mina. A mina e a planta proporcionarão centenas de empregos permanentes, que contribuirão para o desenvolvimento do Estado de Alagoas e da Região Nordeste do Brasil. O Projeto se beneficiará de maneira significativa de incentivos fiscais estaduais e federais, voltados para o desenvolvimento da Região Nordeste, e também especificamente para o Serrote. A Empresa já iniciou as negociações com as comunidades próximas e com potenciais financiadores, e visa iniciar a construção no segundo semestre de 2013, e a produção em meados de 2015. Nós pretendemos financiar este Projeto por meio de uma combinação de instituições públicas, bancos de importação e exportação e agências multilaterais, além de bancos comerciais especializados no financiamento de projetos de mineração."

Descrição do Projeto:

O Serrote foi projetado como operação de mina a céu aberto convencional utilizando perfuratrizes de grande diâmetro para detonação, escavadeiras hidráulicas e movimentação de material por caminhões tipo fora-de-estrada. As Reservas Minerais baseiam-se apenas nos Recursos Minerais do Serrote. Os Recursos dos depósitos próximos, a saber, Caboclo-Rogério e Zezé, não estão incluídos nas reservas, e permanecem como oportunidades futuras para o Projeto.

A planta proposta tem capacidade para o processamento de 19 mil toneladas de minério por dia (sete milhões de toneladas por ano), e consiste de britagem em três estágios, moagem em moinho de bolas, e flotação convencional para a produção de concentrado de cobre. Este concentrado será transportado em caminhões por aproximadamente 150 quilômetros e embarcado no porto de Maceió para exportação, ou por aproximadamente 450 quilômetros até a refinaria localizada próxima a Salvador, no estado da Bahia. O minério oxidado será armazenado separadamente para tratamento em possível operação futura de lixiviação em pilhas. O projeto da planta de beneficiamento inclui previsão de espaço para possível instalação futura de um circuito de recuperação de magnetita.

Reservas Minerais:

O projeto da cava desenvolvido para o cálculo das reservas baseia-se nos preços de USD 3/libra de cobre e USD 1250/onça de ouro, e recuperação de 84% para o cobre e de 65% para o ouro. Apesar de a Empresa acreditar que a magnetita possui valor econômico, esta não foi incluída nos cálculos das reservas. As Reservas mostradas abaixo foram calculadas utilizando-se técnicas padrão de otimização de cavas, e incluem provisão para ângulos de talude, rampas e projetos detalhados da lavra.

Classificação   Material t x 1000   Cu %   Au g/t   Magnetita %   Retorno Metalúrgico Líquido (NSR) $/t
Provada 1   50.805   0,54   0,10   7,09   25,26
Provável1,2   34.667   0,50   0,09   7,82   22,77
Reservas Totais   85.471   0,52   0,10   7,38   24,25
                     
Material Inferido 1,3   1.027   0,36   0,07   3,35   16,73
                     
Rejeito                    
Material Óxidado 4,3   14.996   0,48   0,10   4,77    
Solo 5   610                
Rocha não-mineralizada   213.293                
Rejeito Total 6   228.899                
Material Total   315.397                
Relação estéril/minério 7   2,7                

1 "Medida" conforme terminologia brasileira. Acima de um limite de corte do Retorno Metalúrgico Líquido (Net Smelter Return - NSR) de USD 7,45 / tonelada e dentro da mina ideal projetada.
2 "Indicada" conforme terminologia brasileira. Inclui 1.745.000 toneladas adicionais de material de baixo teor como diluição.
3 Tratado como estéril nos planos de mina.
4 Material oxidado com teor de cobre acima de 0,3% será estocado separadamente como oportunidade futura.
5 Será estocado solo para uso na recuperação ambiental.
6 Total não inclui material inferido.
7 A relação estéril/minério é (Material inferido + Estéril Total) /Reservas Totais.

Recursos Minerais:

Como parte do Estudo de Viabilidade, os Recursos Minerais do Serrote da Laje foram atualizados e encontram-se descritos abaixo. Os Recursos incluem as Reservas. O material oxidado está relacionado separadamente, uma vez que seu processamento não está incluído no atual Projeto.

Categoria Tipo Teor de corte
(%Cu)
  Toneladas
(X 1.000)
  Cu
(%)
  Cu
(X 1.000 libras)
  Au
(g/t)
  Au
(X 1.000 onças)
  Magnetita
(%)
  Magnetita
(X 1.000 libras)
Medida Óxido 0,12   14.513   0,44   140.077   0,10   44,7   4,6   1.460.473
Sulfeto 0,12   63.319   0,51   718.771   0,11   220,5   8,7   12.083.844
Combinado 0,12   77.832   0,50   858.848   0,11   265,2   7,9   13.544.317
Indicada Óxido 0,12   3.734   0,51   41.868   0,10   12,2   4,3   357.452
Sulfeto 0,12   55.894   0,48   596.779   0,08   150,1   7,8   9.637.430
Combinado 0,12   59.628   0,49   638.647   0,08   162,3   7,6   9.994.882
Medida e Indicada Óxido 0,12   18.247   0,45   181.945   0,1   57   4,5   1.817.925
Sulfeto 0,12   119.213   0,50   1.315.550   0,1   370,6   8,3   21.721.274
Combinado 0,12   137.460   0,49   1.497.495   0,1   427,5   7,8   23.539.199
Inferida Óxido 0,12   306   0,24   1.612   0,06   0,6   3,0   20.477
Sulfeto 0,12   5.024   0,35   38.633   0,06   9,2   3,1   345.992
Combinado 0,12   5.330   0,34   40.245   0,06   9,8   3,1   366.469

Uma descrição detalhada dos recursos das reservas adjacentes estará inclusa no Estudo de Viabilidade. O depósito satélite Caboclo-Rogério inclui Recursos Medidos e Indicados iguais a 10.056 mil toneladas de material sulfetado com 0,50% de teor de cobre, e 857 mil toneladas de material oxidado com teor de cobre de 0,56%, baseados em um teor de corte de 0,15% de cobre. Recursos Minerais que não sejam Reservas Minerais não têm viabilidade econômica demonstrada.

Plano de Produção:

O início da produção está programado para meados de 2015, aumentando gradativamente por um período seis meses até atingir a taxa de produção anual de sete milhões de toneladas de minério alimentado. Abaixo está um resumo da produção anual média.

Descrição   Ano 1   Média dos anos 2 a 12   Ano 13   Total
Estéril (incluindo oxidado)1   milhares de toneladas   15.605   18.919   113   232.000
Alimentação total do moinho   milhares de toneladas   6.000   7.000   2.450   85.500
Teor de cobre   %   0,74   0,51   0,40   0,52
Teor de ouro   g/t   0,13   0,09   0,07   0,10
Produção de cobre   milhões de libras   81,9   66,4   18,0   831
Produção de ouro   milhares de onças   15,9   13,8   3,5   171

1 Inclui material a ser decapeado das áreas das pilhas de estéril e estoques..

Custo de Investimento:

O Custo de Investimento está estimado em USD 420 milhões, incluindo USD 36 milhões para contingências. A abertura dos principais custos está mostrada abaixo:

Descrição   Milhões de Dólares (USD)
  Mina   50
  Planta de beneficiamento   155
  Infraestrutura interna   34
  Infraestrutura externa   15
Custos diretos   254
  Custos indiretos do Projeto   51
  Custos próprios   67
Custos indiretos   118
Subtotal diretos e indiretos   372
    Total de contingências   36
Custo de Investimento total do Projeto - antes dos impostos   408
    Impostos e outras obrigações   44
    Impostos a recuperar   (32)
Custo de Investimento total líquido   420

Custos de Operação:

O custo de operação pela vida da mina, líquido de impostos recuperáveis, está estimado em USD 13,04 por tonelada de minério processado ou USD 1,40 por libra de cobre pagável, como resumido abaixo.

Área   USD/tonelada processada   USD/libra cobre
Mina   5,27   0,57
Planta de beneficiamento   4,87   0,52
Geral e administrativo   0,70   0,08
Transporte e outros   0,77   0,08
Fundição e frete   3,27   0,35
Créditos das receitas de ouro   (1,84)   (0,20)
Custo total de operação   13,04   1,40

Análise Econômica:

O modelo financeiro foi elaborado em termos reais, sendo todos os fluxos de caixa expressos na base do segundo trimestre de 2012. As estimativas estão na moeda de origem, sendo 85% dos custos de investimento e 68% das despesas operacionais expressos em Reais. A taxa de câmbio aplicada foi de 2,03 Reais ("BRL") por dólar dos Estados Unidos ("USD") conforme estimativa pela Empresa da taxa de câmbio adequada para o Real com base na paridade do poder de compra.

O retorno financeiro do projeto foi calculado em base não alavancada com valor presente líquido de USD 191 milhões a uma taxa de desconto de 8%e taxa interna de retorno de 19,4%. O retorno está definido após os impostos e inclui benefícios significativos de programas de incentivos fiscais. Os fluxos de caixa projetados estão resumidos abaixo:

Resumo do fluxo de caixa
(milhões de USD)
  Total durante
vida da mina
    2015
(período de
ramp up)
    2016 a 2018     2019 a 2027  
Receitas de cobre   2.316     112     777     1.427  
Receitas de ouro   158     7     50     101  
Royalties   (51 )   (2 )   (17 )   (31 )
Refino e frete   (279 )   (11 )   (88 )   (180 )
Retorno Metalúrgico Líquido (NSR)   2.143     105     722     1.317  
Lavra   (451 )   (16 )   (129 )   (306 )
Processamento   (416 )   (12 )   (94 )   (310 )
Administração   (60 )   (2 )   (13 )   (45 )
Transporte e outros   (66 )   (3 )   (21 )   (42 )
Custos de manutenção de capital e fechamento de mina   (85 )   (4 )   (24 )   (56 )
Imposto de renda   (102 )   (4 )   (31 )   (68 )
Fluxo de caixa livre   964     65     409     490  

Estimativa de preços dos metais foi baseada em consenso de analistas, com as seguintes previsões de valores:

    2015   2016   2017   2018   2019   2020   Longo prazo
Cobre (USD/libra)   3,43   3,17   3,09   3,00   2,92   2,83   2,75
Ouro (USD/onça)   1.486   1.373   1.348   1.324   1.299   1.275   1.250

Licenças e Comunidades:

O Projeto já possui Licença Ambiental de Instalação, que permite o início da construção, bem como a Portaria de Concessão de Lavra, pré-requisito para a obtenção da Licença de Operação. Foram feitas algumas modificações no Projeto desde a obtenção da Licença de Instalação e da Concessão de Lavra, em 12/9/2009 e 20/10/2011, respectivamente. Portanto, serão necessárias algumas atualizações nos processos de licenciamento ambiental e no Plano de Aproveitamento Econômico aprovado pelo Departamento Nacional de Mineração ("DNPM"). A Empresa considera as modificações como melhorias ao Projeto, reduzindo seu impacto, e não espera que a aprovação das atualizações traga quaisquer embaraços ao seu desenvolvimento.

Apresentações sobre o desenvolvimento do Projeto foram feitas e um plano de relações comunitárias foi desenvolvido para as comunidades adjacentes e afetadas, e as negociações para reassentamento estão em curso. O apoio das comunidades ao Projeto continua positivo. 

Oportunidades do Projeto:

Recuperação de magnetita: A alimentação da planta de beneficiamento durante a vida da mina contém em média 7,4% de magnetita. O programa de testes metalúrgicos realizado para o Estudo de Viabilidade incluiu investigações de recuperação de magnetita, e concluiu-se que é possível alcançar 92% de recuperação de magnetita, produzindo uma média de 520 mil toneladas/ano de concentrado de minério de ferro com teor de 65-66%. A infraestrutura de transportes existente inclui uma ferrovia localizada a 7 km do local das operações no Serrote, que se conecta ao Porto de Suape (450 quilômetros ao Norte) e ao Terminal Marítimo Inácio Barbosa (226 quilômetros ao Sul). Essa ferrovia é uma concessão da Transnordestina Logística S/A e está em reforma. A Empresa buscará parcerias com outras companhias interessadas na oportunidade de investir na instalação e operação de um circuito de recuperação de magnetita a partir dos rejeitos da planta de beneficiamento de cobre, que serão depositados na barragem de rejeitos, em áreas aptas para futura recuperação.

Material oxidado: Um total de 15 milhões de toneladas de material oxidado contendo 0,48% de cobre serão lavrados no Serrote e armazenados para possível tratamento futuro por lixiviação. Os testes de lixiviação até o momento são limitados, e serão aprofundados nas próximas fases do Projeto. Os estudos considerarão as sinergias com os recursos dos depósitos próximos, na área do Caboclo. Os oxidados do Serrote poderiam ser transportados por caminhão até o Caboclo, e os sulfetados do Caboclo transportados para o Serrote aproveitando a viagem de retorno, minimizando os custos de transporte.

Depósitos satélite: Os depósitos satélite Caboclo-Rogério e Zezé, localizados a aproximadamente 15 km ao norte do Serrote, estão excluídos do plano de produção do Estudo de Viabilidade. Foram iniciados estudos preliminares para embasar a possível inclusão desses recursos à operação no Serrote no futuro.

Divulgação Técnica

O Relatório Técnico que embasa o Estudo de Viabilidade está sendo elaborado sob a orientação da Micon e por profissionais independentes da indústria, todos qualificados de acordo com a norma canadense NI 43-101 (Qualified Persons ou simplesmente "QP"s). O QP atuando pela Aura Minerals é o engenheiro Dale Tweed, Vice-Presidente de Projetos, que revisou e aprovou este informativo. O engenheiro William Lewis, da Micon, também revisou e aprovou este informativo.

O Relatório Técnico NI 43-101 que embasa o Estudo de Viabilidade, incluindo a descrição dos recursos minerais do Projeto, plano de mina, metalurgia, custos de investimento, custos de operação e análise financeira será protocolado junto às autoridades reguladoras competentes em até 45 dias corridos da data de divulgação deste informativo.

Sobre a Aura Minerals

A Aura Minerals é uma empresa canadense de médio porte de produção de ouro e cobre, voltada à pesquisa, desenvolvimento e operação de projetos de ouro e metais básicos nas Américas. As unidades de produção da Empresa incluem a mina de ouro San Andreas, em Honduras, as minas de ouro São Francisco e São Vicente, no Brasil, e a mina de cobre, ouro e prata de Aranzazu, no México. O principal ativo de pesquisa da Empresa é o Projeto Serrote, de cobre, ouro e ferro no Brasil. A Empresa também possui um projeto de minério de ferro em Inajá, Pará, atualmente em contrato de opção com a Vale.

Advertência
Esse informativo contém informações e declarações de previsões ("previsões"). Todas as declarações, exceto aquelas relativas a fatos históricos, que digam respeito a atividades, eventos ou desenvolvimentos que a Empresa acredita, espera ou antecipa que irão ou poderão ocorrer no futuro, incluindo, mas não limitado ao desenvolvimento do Projeto Serrote e o Estudo de Viabilidade são previsões. Essas previsões são geralmente identificadas por palavras como "acredita", "espera", "deve", "irá", "pode", "prevê", "antecipa" ou linguagem similar, ou apresentam estimativas e declarações que descrevem os planos futuros, objetivos e metas da empresa. Considerando que as previsões são baseadas em presunções, e dizem respeito a eventos e condições futuros, envolvem, por sua natureza, riscos e incertezas, muitos dos quais ultrapassam as capacidades de controle e previsão da empresa. Fatores que podem provocar resultados efetivos ou eventos que diferem substancialmente das expectativas atuais incluem, entre outros, mas não limitados a, falha na obtenção das licenças necessárias, flutuações de câmbio entre o dólar dos Estados Unidos (USD) e o Real (BRL), falhas nas estimativas das reservas e recursos minerais, falha no alcance dos níveis de produção estimados, falha em obter margens e valores esperados, mudanças nos preços globais de ouro e cobre, entre outros riscos discutidos na seção intitulada "Fatores de Risco" no Formulário Anual de Informações da Empresa. Os leitores são advertidos a não depositar confiança indevida em previsões, que valem somente a partir da data em que proferidas. A empresa não assume a responsabilidade de atualizar periodicamente nenhuma de suas previsões, exceto quando assim determinada pela legislação de valores mobiliários.
Ao realizar previsões a empresa utilizou-se de diversas presunções relevantes que podem provar-se incorretas, incluindo, mas não limitado a, que serão obtidas todas as aprovações de terceiros necessárias ao desenvolvimento, construção e produção de seus projetos, que não ocorrerão interrupções significativas que possam afetar as operações, quer devido a paralisação de trabalhadores, interrupção no suprimento por fornecedores, interrupções no fornecimento de energia, danos a equipamentos, entre outros; que o desenvolvimento e expansão prossigam em um ritmo consistente com as atuais expectativas da empresa; que as taxas de câmbio permaneçam aproximadamente consistentes com as vigentes atualmente; certas presunções de preço para o cobre e o ouro; que as previsões de produção alcancem as expectativas; a precisão das estimativas atuais da empresa quanto aos recursos e reservas minerais; que o incremento nos custos de matérias-primas e mão-de-obra seja consistente com as expectativas atuais da empresa; que qualquer financiamento adicional que se faça necessário esteja disponível em termos razoáveis; e presunções feitas e julgamento utilizados em interpretações de engenharia e geológicas.
Não há como assegurar que as previsões se revelarão corretas e precisas no futuro, uma vez que os resultados efetivos e eventos futuros podem divergir substancialmente daqueles antecipados em previsões. Desta forma, os leitores não devem depositar indevida confiança nas previsões realizadas.

Contact Information

  • Para informações adicionais, favor visitar o portal da Aura Minerals na internet, no endereço www.auraminerals.com, ou contate:

    Aura Minerals Inc.
    Jim Bannantine
    Presidente & Chief Executive Officer

    Telefone: +1 (604) 669-4777
    Fax: +1 (604) 696-0212
    E-mail: info@auraminerals.com