SOURCE: Wireless Broadband Alliance

Wireless Broadband Alliance

November 09, 2011 05:45 ET

Uso de Smartphones e Tablets deve aumentar em 350% o número de Hotspots Wi-Fi em todo o mundo até 2015

Pesquisa revela que as conexões de Smartphones com Wi-Fi em Hotspots agora são em maior número do que as de Laptops na América do Norte e Ásia-Pacífico

SINGAPORE, SINGAPORE--(Marketwire - Nov 9, 2011) - A Wireless Broadband Alliance (WBA -Aliança de Banda Larga Sem Fio), a associação do setor concentrada em conduzir a experiência de Wi-Fi da próxima geração, publicou hoje um relatório sobre o estado do mercado Wi-Fi público global compilado pela firma de análise Informa Telcoms & Media. O relatório inclui uma pesquisa abrangente com 259 provedores de serviço e fornecedores de Wi-Fi.

O relatório revela que o número de hotspots de Wi-Fi públicos globais deve aumentar de 1,3 milhões em 2011 para 5,8 milhões até 2015, um aumento de 350%. Este número não inclui os 'hotspots comunitários', onde os usuários compartilham o ponto de acesso Wi-Fi com outros, com outros 4,5 milhões em todo o mundo.

A China Mobile pretende implementar um milhão de hotspots e a KDDI do Japão pretende aumentar seus 10.000 hotspots Wi-FI para 100.000 em seis meses. A pesquisa revelou que este crescimento estará concentrado em três tipos de locais: amplas hotzones externas (ex. parques, por exemplo); hotzones de área local (ex. atrações turísticas populares); e hubs de transportes (ex. aeroportos).

O resultado também mostra que 58% das operadoras - incluindo 47% das operadoras móveis - acreditam que os hotspots de Wi-Fi são muito importantes ou essenciais para a experiência dos clientes, descarregam as redes de banda larga móvel ocupadas e proporcionam uma plataforma de serviço de valor agregado.

O crescimento dos dados móveis é um fator principal para a rápida expansão dos hotspots de Wi-Fi. O relatório destaca que o tráfego de dados móveis deve alcançar 16,84 milhões de terabytes até 2014. As operadoras pretendem administrar o impacto deste crescimento principalmente com novas estratégias de preços e offload via redes Wi-Fi.

A pesquisa revelou que as conexões de smartphone com Wi-Fi em hotspots ultrapassarão as de laptops em breve em todo o mundo. Os laptops representam menos da metade (48%) das conexões com hotspots, os smartphones representam 36% e os tablets 10%. Na APAC e na América do Norte os smartphones já ultrapassaram as conexões de laptops. Na América Latina, as conexões de smartphones e laptop estão empatadas. Os respondentes não esperam que as implementações de banda larga móvel LTE afetem o crescimento dos hotspots de Wi-Fi.

O relatório ressalta diversas barreiras da adoção e uso de hotspots de Wi-Fi públicos. Incômodos procedimentos de autenticação, custo do acesso, descoberta de redes disponíveis para os usuários e a segurança foram mencionadas. Uma operadora do Reino Unido recentemente revelou que apenas 20% dos seus usuários usam os hotspots públicos gratuitos disponíveis.

No entanto, o novo relatório destaca que muitos dos desafios serão eliminados com os Next Generation Hotspots (NGH - Hotspots da Próxima Geração) atualmente sendo testados no exterior. Com estes hotspots os usuários podem mudar da rede celular para a rede Wi-Fi usando o cartão SIM do aparelho como autenticação, reduzindo a preocupação com a autenticação, descoberta e segurança da rede. As operadoras também estão reduzindo o custo do acesso com um maior número de Wi-Fi público como parte do pacote de banda larga ou de celular.

Chris Bruce, Chairman da WBA e CEO da BT Openzone, disse: "O relatório mostra que estamos para entrar na era de ouro do Wi-Fi público com as implementações de hotspot prevista para explodir. As operadoras de linhas fixas estão ampliando os serviços de banda larga para além das residências e escritórios, e o Wi-Fi dá suporte às redes de banda larga móvel ocupadas. Os testes dos Hotspots da Próxima Geração estão vencendo as últimas barreiras e com a criação de uma experiência de usuário simples e segura, o uso dos hotspots continuará a crescer".

O resultado representa 259 experts em Wi-Fi público, mais da metade de operadoras que abrangem amplas áreas geográficas representando todos os principais continentes, mas concentrada nos mercados desenvolvidos. O relatório completo está disponível no website da Wireless Broadband Alliance - http://www.wballiance.com/resource-centre/global-developments-wifi-report.html

Nota para os editores

Wireless Broadband Alliance

Fundada em 2003, a Wireless Broadband Alliance (WBA) tem por objetivo garantir uma excelente experiência de usuário através da implementação global de Wi-Fi da próxima geração. A WBA e seus membros líderes do setor se dedicam à oferta desta experiência de qualidade através de uma tecnologia inovadora, interoperável e com forte segurança.

Hoje em dia, a associação inclui as principais operadoras de linha fixa como BT, NTT Communications, Comcast e Time Warner Cable; sete dos 10 maiores grupos de operadoras móveis (por receita) e as principais empresas de tecnologia como Cisco, Google e Intel. Estes membros atendem mais de 390 milhões de clientes e lançaram mais de 290.000 em todo o mundo. A associação também trabalha com operadoras internacionais para conduzir a inovação, oferecer conectividade completa e otimizar os investimentos em redes. A Diretoria da WBA inclui AT&T, BT, Boingo, Cisco, Deutsche Telekom, KT, NTT DOCOMO, Orange France, True Internet e TMN/Portugal Telecom. www.wballiance.com

Siga a Wireless Broadband Alliance no Twitter:

www.twitter.com/wballiance

Para visualizar o infográfico associado a este press release, visite o seguinte link: http://media3.marketwire.com/docs/WBAinfographic.pdf

Para visualizar o vídeo associado a este press release, visite o seguinte link: http://youtu.be/qrD-mXbQUHY

Contact Information

  • Contatos:
    Temono em nome da Wireless Broadband Alliance
    Stephanie Ross
    +44 207 089 8896
    wba@temono.com